Humberto de Alencar Castelo Branco foi um militar de carreira e o presidente do Brasil de 1964 a 1967. Foi um dos principais líderes do golpe militar que depôs o governo constitucional do presidente João Goulart. Durante seu governo, Castelo Branco suspendeu todos os partidos políticos existentes e concentrou o poder no governo central.

Infância e juventude

Castelo Branco nasceu em 20 de setembro de 1900, na cidade portuária de Fortaleza no Nordeste do Brasil. Seu pai era um brigadeiro do exército brasileiro e era conhecido por seus escritos sobre questões militares. Castelo Branco frequentou escolas militares, graduando-se com honras em 1921. Ele, então, foi designado para um regimento de infantaria como um segundo tenente. Em 1943 ele tornou-se um tenente-coronel do exército, servindo na Europa durante a Segunda Guerra Mundial. Quando a guerra acabou, Castelo Branco voltou ao Brasil e se tornou chefe do Estado-Maior do Exército.

Carreira política

No início da década de 1960, Castelo Branco, outros líderes militares e setores conservadores da sociedade brasileira acreditavam que o presidente João Belchior Marques Goulart queria tornar o Brasil num país comunista. Em 1964, Castelo Branco e outros líderes militares lideraram um movimento que iniciou o golpe de Estado contra Goulart. O regime militar instalado por esse golpe se estendeu por 21 anos, terminando apenas em 1985. O Congresso brasileiro nomeu Castelo Branco presidente. Enquanto no cargo, Castelo Branco iniciou a promulgação dos chamados Atos Institucionais, por meio dos quais os militares legitimavam para si próprios direitos extraconstitucionais.

Durante seu governo foram criados o Serviço Nacional de Informações (SNI), responsável por manter o governo informado de tudo o que se passava no país; o Conselho Monetário Nacional; e o Banco Central. Foram instituídos também o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e o Instituto Nacional de Previdência Social (INPS). Também foram estabelecidas a Lei de Imprensa (1967), que restringia a liberdade de expressão, e a Lei de Segurança Nacional. Um ano após de assumir o cargo, os preços em todo o país começaram a crescer, estimulando o descontentamento da população. Ele deixou o cargo em março de 1967 e morreu cerca de quatro meses depois, em 18 de julho num acidente aéreo no Ceará.

Foi casado com Argentina Viana Castelo Branco com quem teve dois filhos.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.