Por mais de seiscentos anos, várias potências estrangeiras dominaram a Hungria, um país da Europa central. Terminado o regime comunista, em 1989, ela se aproximou dos países da Europa ocidental. Sua capital é Budapeste. A Hungria tem 9.866.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 93.030 km2.

Geografia

A Hungria tem fronteiras com a Eslováquia, a Ucrânia, a Romênia, a Sérvia, a Croácia, a Eslovênia e a Áustria. O Danúbio e o Tisza são os dois principais rios do país. O lago Balaton, a oeste, é o maior da Europa central. Uma planície baixa, a Grande Alföld, cobre as regiões central e leste do país. Outra, menor, a Pequena Alföld, fica a noroeste. As planícies são separadas por planaltos. A Transdanubiana é uma região de colinas a oeste do rio Danúbio. No nordeste ficam os montes Setentrionais. Fica lá o ponto mais alto do país, o monte Kékes, com 1.014 metros de altitude.

A Hungria tem clima continental, com verões quentes e invernos frios. A Grande Alföld é a região mais seca do país. Os planaltos do sudoeste são mais úmidos.

Flora e fauna

Com o tempo, a maior parte das florestas da Hungria foi dando lugar à agricultura. Hoje, elas representam apenas um quinto das terras. As faias crescem nas áreas mais altas. Choupos e carvalhos são comuns, e salgueiros crescem à beira dos rios.

Cervos e javalis vivem nas florestas elevadas. Perdizes, faisões, lebres e roedores se encontram nas regiões mais baixas. Bremas, lúcios, percas e outros peixes habitam os lagos e os rios.

População

A maior parte da população é de etnia húngara e se constitui de descendentes dos antigos magiares, que vieram de uma região próxima aos montes Urais há mais de mil anos. Existem pequenos grupos de ciganos, alemães, eslovacos e judeus, entre outros. Como a Hungria hoje é bem menor do que antes, muitas pessoas de etnia húngara moram nos países vizinhos.

A maior parte da população fala húngaro (magiar). Mais da metade é católica. Muitas pessoas são ateias. A maioria dos húngaros mora em cidades.

Economia

Os serviços — entre os quais bancos, educação e turismo — são a principal atividade econômica. A indústria também é importante. São fabricados computadores, veículos motorizados, alimentos e bebidas, maquinário e produtos químicos. O principal recurso mineral do país é a bauxita, que serve à fabricação do alumínio.

A agricultura representa uma pequena parte da economia. Os principais produtos agrícolas da Hungria são cevada, milho, beterraba, uva, semente de girassol, batata e maçã. Os fazendeiros criam vacas, carneiros, porcos e aves.

História

A parte ocidental da Hungria atual tornou-se província romana em 14 a.C. Povos germânicos e asiáticos moravam na parte oriental. No século V os magiares começaram a migrar para a Hungria, vindos do leste. Sob o comando de seu líder, Arpád, eles se estabeleceram ao longo da parte central do rio Danúbio no fim do século IX e no começo do século X.

O líder mais popular dos magiares, Estêvão, foi coroado rei por volta do ano 1000. Ele difundiu o cristianismo na Hungria e organizou o reino em um estado forte e independente. Mais tarde, foi canonizado pela Igreja Católica, com o nome de Santo Estêvão. A Hungria era o principal poder na Europa centro-oriental no século XII.

Domínio estrangeiro

Uma invasão dos mongóis em 1241 exterminou metade da população húngara. Durante mais de seis séculos, reis e impérios estrangeiros dominaram o país. Os turcos integraram a Hungria ao Império Otomano no século XVI. No fim do século seguinte, os Habsburgos, família real da Áustria, controlaram a região.

Os húngaros iniciaram uma revolução contra o poder dos Habsburgos em 1848, e um ano depois o país proclamou a independência. Com a ajuda dos russos, os Habsburgos retomaram o domínio do país. Entretanto, eles perceberam que seu império não podia se manter sem o apoio dos húngaros. Em 1867, os austríacos concordaram em estabelecer a dupla monarquia da Áustria-Hungria.

Guerras mundiais e governo comunista

O Império Austro-Húngaro foi derrotado na Primeira Guerra Mundial (1914-1918) e se esfacelou. A Romênia, a Tchecoslováquia, a Iugoslávia, a Áustria, a Polônia e a Itália receberam partes da Áustria e da Hungria, e esta, por sua vez, ficou apenas com a área controlada pelos magiares. Na tentativa de reaver parte dos territórios perdidos, a Hungria decidiu cooperar com a Alemanha contra a União Soviética durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Contudo, foi derrotada, e as tropas soviéticas assumiram o controle do país em abril de 1945.

Em 1947, os comunistas tomaram o governo. Os húngaros se revoltaram contra eles em 1956, mas as tropas soviéticas derrotaram a rebelião. Milhares de pessoas morreram e cerca de 200 mil fugiram do país. Com o tempo, o poder comunista tornou-se mais flexível e as condições de vida da população melhoraram. O controle soviético também ficou menos rígido no fim dos anos 1980.

Eventos recentes

Os comunistas húngaros renunciaram ao poder em 1989, e ocorreram eleições livres em 1990. O país se aproximou da Europa ocidental, passando a integrar a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) em 1999 e a União Europeia (UE) em 2004.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.