O Iêmen é um país do Oriente Médio, na Ásia. De 1962 a 1990, foi dividido em dois países distintos: Iêmen do Norte e Iêmen do Sul. Sua capital é Sana. O Iêmen tem 26.053.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 528.076 km2.

Geografia

O Iêmen localiza-se na extremidade sul da península Arábica, uma área em forma de triângulo no sudoeste da Ásia. O país faz fronteira com a Arábia Saudita e com Omã. O mar Vermelho fica a oeste, e o golfo de Áden, ao sul. Diversas ilhas próximas pertencem ao Iêmen.

Uma faixa de areia acompanha o litoral do país. No interior, o relevo é montanhoso. Ao norte das montanhas existe um grande deserto de areia.

O deserto e o litoral são quentes e secos. Nas montanhas, a temperatura é mais fresca, com chuvas suficientes para a agricultura.

Flora e fauna

Nas montanhas, são encontrados eucaliptos, plátanos e figueiras. Arbustos espinhosos vicejam nas áreas secas, e na região litorânea crescem palmeiras.

Babuínos, hienas, raposas e coelhos fazem parte da fauna do país, assim como gaviões, abutres, corvos e outras aves.

População

A maior parte da população do Iêmen é árabe. Pequenos grupos de somalis, de outros povos africanos e de pessoas vindas do sul da Ásia também vivem no país. Os habitantes do Iêmen falam árabe e seguem a religião muçulmana.

A maior parte dos iemenitas vive em aldeias e cidades pequenas. Uma parcela menor é nômade, ou seja, não vive em lugar fixo e está sempre mudando de região.

Economia

A economia nacional depende da produção de petróleo. O Iêmen, no entanto, não tem tantas reservas quanto outras nações do Oriente Médio. O país fabrica também produtos de metal, roupas e cimento.

Cerca de metade dos trabalhadores do país dedica-se à agricultura ou ao pastoreio. As principais plantações são de sorgo, tomate, batata, uva, laranja e trigo. São cultivados também o café e o qat, uma planta que os iemenitas costumam mascar. Há criações de ovelhas, cabras e gado bovino. A pesca é outra fonte de alimentos.

História

Na Antiguidade, reinos muito ricos floresceram na região que hoje é o Iêmen. Eles enriqueceram comerciando olíbano e mirra, extraídos das árvores da região. Muitos povos antigos usavam o olíbano e a mirra para fazer perfumes, incensos e medicamentos.

No século VII, os iemenitas adotaram o islamismo. Líderes muçulmanos chamados imames passaram a governar o país. No século XVI, o Império Otomano dominou partes do Iêmen, mas, no século XVII, os iemenitas expulsaram os otomanos. Os turcos voltaram em meados do século XIX, tomando o norte do Iêmen. Enquanto isso, os britânicos ocuparam o sul do país.

Dois Iêmens

O Império Otomano desintegrou-se em 1918. Os imames, então, governaram o norte do Iêmen até 1962, quando o último desses líderes perdeu o poder. O norte do Iêmen tornou-se um novo país, chamado República Árabe do Iêmen, ou Iêmen do Norte.

Em 1967, os britânicos deixaram o sul do Iêmen, e um grupo socialista assumiu o poder na região. (No socialismo, o governo detém o controle de todos os negócios e das propriedades.) Outro governo socialista que subiu ao poder em 1969 deu ao país o nome de República Democrática Popular do Iêmen, ou Iêmen do Sul.

Unificação

Em 1990, os dois Iêmens se uniram para formar a República do Iêmen. Em 1994, rebeldes do sul iniciaram uma guerra civil contra o governo. Menos de dois meses depois, o governo derrotou-os em Áden, a antiga capital do Iêmen do Sul. Mais tarde, surgiram no país grupos terroristas, que o governo se dedicou a combater.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.