A Iugoslávia foi um país que existiu no sudeste da Europa entre 1929 e 2003. Foi criado quando vários antigos reinos e outros territórios se uniram para se tornar as seis repúblicas, ou estados, de um único país, que passou a se chamar Iugoslávia. Cada república que fazia parte desse país tinha sua própria mescla de grupos étnicos e de religiões. Às vezes as tensões entre os vários grupos ficavam mais agudas.

No final do século XX e no início do XXI, as seis repúblicas se separaram e se tornaram países independentes. Esses países são a Bósnia e Herzegovina, a Croácia, a Eslovênia, o Kosovo, a Macedônia, Montenegro e a Sérvia.

Geografia e população

A Iugoslávia ficava ao longo da margem oriental do mar Adriático, na península dos Bálcãs, na Europa. Fazia fronteira com a Itália, a Áustria, a Hungria, a Romênia, a Bulgária, a Grécia e a Albânia. Sua capital era Belgrado, que agora é a capital da Sérvia.

A maioria da população da Iugoslávia era formada por eslavos, que se repartiam em vários grupos étnicos: sérvios, montenegrinos, croatas, eslovenos, macedônios e bósnios. Esses grupos tinham ligações entre si, mas cada um deles tinha sua própria história; além disso, todos seguiam religiões diferentes e falavam línguas eslavas distintas. Muitos povos que não eram eslavos, como albaneses, ciganos, húngaros e turcos, também viviam na Iugoslávia.

História

Por volta do final do século XIX, o Império Otomano e o Império Austro-Húngaro dominavam grande parte da região dos Bálcãs. Esses dois impérios foram derrotados na Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Após o conflito, vários territórios balcânicos formaram um novo país, que recebeu o nome de Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos. O reino mudou de nome para Iugoslávia em 1929.

A Alemanha, a Itália e seus aliados invadiram a Iugoslávia em 1941, durante a Segunda Guerra Mundial. Alguns anos depois, Josip Broz Tito liderou os soldados que libertaram a Iugoslávia dos invasores. Ele tornou-se o governante do país e instalou um governo comunista no país.

Tito foi um líder forte. Conseguiu manter os vários grupos étnicos juntos, em um país unificado. Mas nos anos 1980 aconteceram grandes mudanças. A primeira delas foi a morte de Tito. Depois, como os outros países do leste da Europa, a Iugoslávia deixou de ter governo comunista.

Os diferentes grupos étnicos do país começaram a entrar em conflito. Em 1991 e 1992, a Croácia, a Eslovênia, a Macedônia e a Bósnia e Herzegovina se autoproclamaram repúblicas independentes. Os sérvios foram contra isso e lutaram para evitar a separação. Seguiu-se uma sangrenta guerra civil, que perdurou até 1995.

Depois da guerra, a Sérvia e Montenegro eram as únicas repúblicas que permaneciam integradas com o nome de Iugoslávia. Em 2003, o país formado por elas passou a se chamar Sérvia e Montenegro. Em 2006, decidiram se separar pacificamente e deram origem a dois países, um chamado Sérvia e o outro Montenegro. Dois anos mais tarde, a Sérvia perdeu parte de seu território quando a província de Kosovo também declarou sua independência.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.