País do Oriente Médio, no oeste da Ásia, o Líbano fica na costa leste do mar Mediterrâneo. Com 4.137.000 habitantes (estimativa de 2014), sua população é grande para a área que ocupa, de apenas 10.452 km2. A capital é Beirute, a maior cidade do país.

Geografia

O Líbano faz fronteira com Israel e Síria. Uma planície estreita acompanha a costa mediterrânea. Os maciços do monte Líbano, que se erguem a 3.000 metros, ficam no meio do país. As montanhas do Antilíbano formam a fronteira libanesa com a Síria. Entre as duas cordilheiras, o elevado vale do Bekaa mantém a fertilidade graças às águas do Litani, o único rio perene do Líbano.

A costa do Líbano e o vale do Bekaa têm verões quentes e secos. Já os invernos são amenos e chuvosos na costa e muito frios no vale. Chove muito no Líbano, mais do que na maioria dos países do Oriente Médio.

Flora e fauna

O Líbano tem arbustos e árvores baixas, como carvalhos, pinheiros, ciprestes, abetos, juníperos e alfarrobeiras. Árvore símbolo do país, o cedro atualmente só cresce em bosques protegidos em montanhas.

O país tem animais como cervos, gatos selvagens, ouriços-cacheiros, esquilos, martas (pequenos mamíferos parecidos com as doninhas) e lebres. Flamingos, pelicanos, cucos e várias aves de rapina também vivem por lá.

População

A maioria dos libaneses é árabe, e há minorias armênias e curdas. O árabe é a língua oficial, mas muitas pessoas falam inglês e francês. Mais da metade da população é muçulmana e o restante geralmente é cristão. Uma minoria drusa segue uma religião com elementos do islamismo, do cristianismo, do judaísmo e de outras crenças. Cerca de 90 por cento dos libaneses vivem em cidades, sobretudo ao longo da costa. Problemas entre os cidadãos muçulmanos e cristãos levaram a uma longa guerra civil entre 1975 e 1991.

O Brasil tem um grande contingente de imigrantes libaneses. Com apoio de dom Pedro II (que tinha visitado o Líbano em 1876), o primeiro navio de libaneses chegou ao Brasil em 1880. Esses imigrantes e seus descendentes tiveram uma forte influência na composição da sociedade e da cultura brasileiras, gerando personalidades de destaque nacional nas áreas de medicina, comércio e indústria.

Economia

Serviços, como bancos e turismo, são as principais atividades econômicas do Líbano. Também importantes são as indústrias de cimento, produtos alimentícios, joias, vestuário, maquinário, produtos químicos e artigos de madeira.

A agricultura se concentra na costa mediterrânea e no vale do Bekaa. As principais culturas são as de batatas, tomates, pepinos, frutas cítricas, cebolas, uvas, maçãs e azeitonas. Há criação extensiva de cabras e ovelhas.

História

Antigamente, fenícios, gregos, romanos e bizantinos dominaram o que é hoje o Líbano. Em 1516, os turcos anexaram a região ao Império Otomano. Após a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), o poder local foi assumido pela França, e essa situação se estendeu até 1943. Foi quando o Líbano conquistou sua independência.

Após a independência, a tensão entre cristãos e muçulmanos aumentou. Em 1970, a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) mudou seu quartel-general para Beirute e, em posições na fronteira, passou a lançar ataques contra Israel. Muçulmanos libaneses se aliaram aos palestinos contra Israel e os cristãos libaneses. Os muçulmanos libaneses também queriam mais poder no governo, formado principalmente por cristãos.

Em 1975, o conflito virou uma guerra civil entre muçulmanos e cristãos. No ano seguinte, forças sírias entraram no Líbano para apoiar os cristãos. Em 1982, houve uma invasão de forças israelenses. Estas, junto com uma força de paz internacional, mais tarde expulsaram a OLP do Líbano. Apesar disso, os confrontos entre grupos religiosos do país continuaram.

A guerra civil terminou em 1990, mas a violência continuou no sul do Líbano, especialmente entre forças israelenses e o grupo muçulmano radical Hezbollah. Cerca de 300 mil refugiados palestinos também permaneceram no Líbano.

Em 2000, Israel retirou suas forças do sul do Líbano. As tropas sírias se retiraram em 2005.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.