Leonardo da Vinci foi um gênio em muitos campos. Distinguiu-se na pintura, no desenho, na escultura, na arquitetura e na engenharia. Foi uma figura da maior importância no Renascimento italiano, época de grandes realizações nas artes e nas ciências. As pinturas de Da Vinci, como a Mona Lisa e A última ceia, deram-lhe grande fama. Mas ele também é bem conhecido por seus estudos científicos.

Juventude

Leonardo da Vinci nasceu em 15 de abril de 1452, perto de Vinci, na República de Florença, que hoje é parte da Itália. Aos quinze anos, começou a estudar com o artista Andrea del Verrocchio, em Florença. Verrocchio ensinou-lhe pintura, escultura e a elaboração de projetos de aparelhos mecânicos.

Pinturas e cadernos

De 1482 a 1499, em Milão, Da Vinci trabalhou para um duque como pintor e engenheiro. Apesar de ter concluído apenas seis pinturas nesse período, entre elas estavam nada menos do que duas de suas obras-primas: A última ceia e A Virgem dos Rochedos.

Em Milão, Da Vinci também passou a estudar a natureza. Ele pensava que, observando atentamente os objetos e desenhando-os com precisão, um artista se tornaria capaz de adquirir conhecimentos científicos. Anotava suas observações em uma série de cadernos, muitos deles disponíveis para observação e estudo em museus e bibliotecas. Por exemplo, o Codex Atlanticus, uma coleção de 12 volumes com 1.750 desenhos e cem páginas de anotações sobre diversos assuntos, é um documento extraordinário que permite entender o gênio de Da Vinci em várias áreas. A coleção está na Biblioteca Ambrosiana, em Milão, na Itália.

Os cadernos de Leonardo da Vinci tratavam de muitos temas, como pintura, arquitetura, maquinário, a estrutura do corpo humano e a ciência do voo. Mais de trezentos anos antes de as máquinas voadoras serem aperfeiçoadas, da Vinci já havia desenvolvido projetos para a construção de um avião e de um helicóptero.

Últimos anos

Em 1503, Da Vinci voltou a Florença. Lá, ele continuou seus estudos científicos e dedicou-se a quatro pinturas magníficas, entre elas a Mona Lisa. Passou alguns de seus últimos anos em Milão e em Roma. Em 1516, mudou-se para Cloux (hoje Clos-Lucé), na França, e trabalhou para o rei francês Francisco I. Lá, passou a maior parte do tempo editando seus escritos. Leonardo da Vinci morreu em Cloux, em 2 de maio de 1519.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.