A Letônia fica na costa leste do mar Báltico, no leste da Europa. Durante boa parte da sua história, foi dominada por potências estrangeiras. Em 1991, tornou-se independente da União Soviética. A Letônia tem 1.994.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 64.589 km2. Riga é a capital do país.

Geografia

A Letônia fica no meio de outros dois países bálticos, a Estônia (ao norte) e a Lituânia (ao sul). A Rússia e a Bielo-Rússia ficam a leste. O território letão inclui baixadas planas e colinas. Existem muitos rios e lagos em meio às colinas. Os invernos são frios, e os verões são frescos e chuvosos.

Flora e fauna

As florestas cobrem grande parte da Letônia. As árvores mais comuns são o pinheiro e espécies nativas das regiões frias do hemisfério Norte, como o abeto. Os animais mais encontrados são alces, javalis, raposas, lebres, texugos e arminhos (um tipo de doninha).

População

Os letões étnicos formam mais da metade da população. Eles falam o idioma letão. Os russos são o segundo maior grupo populacional. Mais da metade da população não é religiosa; entre os demais, a maioria é de cristãos. A maior parte das pessoas vive nas cidades.

Economia

Os serviços, nas áreas de educação, transportes e bancos, são as principais atividades econômicas. A indústria também é importante. A Letônia fabrica madeira, metais, roupas e máquinas. Seus produtos alimentícios incluem carne de porco e de vaca, produtos lácteos e peixes.

História

O primeiro grupo populacional que viveu onde hoje é a Letônia foi formado pelos antigos bálticos. No século IX, os vikings assumiram o controle da região. Alemanha, Polônia e Suécia exerceram domínio mais tarde. Por volta do final do século XVIII, o poder sobre a Letônia foi exercido pela Rússia.

Em 1917, a Letônia declarou sua independência, mas em 1940 a União Soviética invadiu e incorporou o país. Mais de 100 mil letões foram obrigados a se mudar para o norte da Rússia. A Letônia transformou-se numa das repúblicas soviéticas mais prósperas e, em 1991, conquistou novamente sua independência.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.