Liechtenstein é um dos menores países da Europa e do mundo. É um principado, o que significa que é governado por um príncipe. A capital é Vaduz. O país tem população de 37.300 habitantes (estimativa de 2014), e sua área é de 160 km2.

Geografia

O rio Reno separa Liechtenstein da Suíça, a oeste. A Áustria fica a leste. Próximo ao Reno, situam-se terras baixas. Montanhas cobrem a parte leste do país.

Flora e fauna

Faias cor de cobre, bordos, olmos, tílias, plátanos e freixos são árvores comuns em Liechtenstein. Entre os animais, encontram-se cervos, lebres, raposas, texugos, doninhas e faisões.

População

A maior parte da população de Liechtenstein é aparentada com uma antiga tribo germânica chamada alamanos. Há também grupos menores de suíços, austríacos e alemães. A língua principal é o alemão. A população é, na maioria, católica. Cerca de 75 por cento dos habitantes moram nas áreas rurais.

Economia

Bancos, turismo e outros serviços são importantes na economia do principado. As manufaturas também exercem papel importante: produzem eletrônicos, cerâmica, equipamento dentário, lentes, maquinaria e metais.

Embora a maioria da população viva na área rural, a agricultura de Liechtenstein não tem grande peso na economia do país. Os agricultores criam gado e produzem laticínios e carne. As lavouras principais são de cereais, batatas e uvas.

Liechtenstein não tem moeda própria, pois utiliza a unidade monetária da Suíça, o franco suíço.

História

A tribo dos alamanos chegou à região por volta de 500 d.C. Os estados de Vaduz e Schellenberg ali se desenvolveram. Em 1719, o Sacro Império Romano-Germânico agrupou esses dois estados para formar o principado de Liechtenstein. O país tornou-se independente em 1866. Atualmente, o príncipe de Liechtenstein desempenha papel ativo no governo. Ele tem mais poder do que muitos outros monarcas (reis ou rainhas) da Europa.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.