Louis Pasteur foi um cientista francês que fez importantes descobertas a respeito dos micróbios (germes) e o que eles provocam: doenças e deterioração dos alimentos. Essas descobertas até hoje salvam muitas vidas. Elas também tornaram os alimentos mais seguros para o consumo e protegeram a saúde dos animais. Pasteur foi um corajoso cientista, que se questionava constantemente, procurava respostas e alterava conceitos que concluía estarem errados. Não tinha medo de errar e procurava consertar o erro.

Pasteur nasceu no dia 27 de dezembro de 1822, na cidade de Dole, na França. Recebeu o título de doutor em ciências em 1847, com 25 anos. A partir daí, ensinou química em universidades francesas.

Enquanto trabalhava na Universidade de Lille, Pasteur descobriu que o processo de fermentação se dava a partir da ação de micróbios. Fermentação é a transformação química usada na fabricação de pães, vinhos, queijos e outros alimentos. Pasteur mostrou que o calor matava os micróbios que causavam a fermentação. Essa descoberta o levou a inventar um processo para destruir micróbios perigosos nos alimentos. Essa técnica ficou conhecida como pasteurização e diminui o processo de deterioração dos alimentos. A pasteurização é usada até hoje.

Pasteur descobriu que muitas doenças são causadas por micróbios. Ele desenvolveu um método para prevenir doenças chamado vacinação. A vacinação implica colocar germes enfraquecidos dentro do corpo de uma pessoa ou de um animal. O germe enfraquecido não é capaz de fazer a pessoa ou o animal adoecer. No entanto, o corpo “aprende” a lutar contra a doença causada por esse germe.

Em 1881, Pasteur teve sucesso ao vacinar ovelhas contra uma doença chamada antrax. Ele também desenvolveu uma vacina contra a raiva. Pasteur morreu no dia 28 de setembro de 1895, em Saint-Cloud, na França. Toda vez que alguém bebe leite pasteurizado ou recebe uma vacina, está sendo beneficiado pelas descobertas de Louis Pasteur.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.