A Lua é um grande satélite natural que gira em torno da Terra. Depois do Sol, é o corpo celeste mais brilhante.

A distância média entre a Lua e a Terra é de cerca de 384.400 quilômetros, o que é pouco em comparação com a distância entre outros planetas e a Terra. Na realidade, a Lua é próxima o suficiente para afetar o nível dos oceanos. Todo dia os mares parecem subir e descer, e isso acontece por influência da força da gravidade da Lua. Embora fraca demais para afetar todo o planeta, a atração da Lua faz as águas se movimentarem, criando, desse modo, as marés.

Características físicas

A Lua tem pouco mais que um quarto do tamanho da Terra. Seu diâmetro (a distância de um ponto a outro da circunferência, passando pelo centro) é de cerca de 3.500 quilômetros.

A Lua é formada sobretudo por rochas, e sua superfície tem milhares de buracos chamados crateras. As crateras se formam quando fragmentos de rochas e metais chamados meteoritos colidem com a Lua. Essas colisões cobrem a superfície da Lua com pedras e poeira. A Lua também tem planícies compostas de lava expelida por vulcões há bilhões de anos.

De dia, quando a Lua fica de frente para o Sol, a média de temperatura em sua superfície é de cerca de 107°C. À noite, porém, a temperatura cai para cerca de -153°C.

Rotação e translação

Assim como os planetas, a Lua tem dois tipos de movimento: rotação e translação. A Lua orbita a Terra — ou seja, se move em torno dela —, e cada volta completa da Lua ao redor da Terra leva cerca de 27 dias. A Lua também faz o movimento de rotação, girando em torno de seu próprio eixo. Ela conclui cada rotação em cerca de 27 dias — o mesmo tempo que leva para completar uma órbita; por isso, a mesma face lunar fica sempre voltada para a Terra.

Fases e eclipses

Vista da Terra, a Lua muda de aparência conforme a época, ou seja, muda de fase. Às vezes, ela parece um círculo completo (na fase cheia), outras vezes aparece como uma fatia fina (no quarto crescente e no quarto minguante) ou fica completamente escura (na fase nova). Apesar disso, sua forma não muda. Na verdade, a Lua reflete a luz do Sol. À medida que a Lua orbita em volta do nosso planeta, o Sol brilha em partes diferentes dela, e é isso que as torna visíveis para quem está na Terra.

Às vezes, a posição relativa da Lua, do Sol e da Terra causa um evento chamado eclipse. Durante um eclipse do Sol, a Lua bloqueia a visão dele por alguns momentos para quem está na Terra. Durante um eclipse da Lua, a Terra impede o Sol de brilhar sobre a Lua.

Observação e exploração

Os seres humanos observam a Lua desde tempos remotos. No século XVII, a invenção do telescópio permitiu estudá-la com mais precisão.

Avanços maiores no conhecimento foram obtidos com o envio de várias naves espaciais à Lua a partir de 1959. Em 1966, a Luna 9, da União Soviética, foi a primeira nave espacial sem tripulação humana a pousar com êxito na Lua. Em 1969, o foguete americano Apolo 11 transportou os primeiros astronautas a caminhar na Lua: Neil Armstrong e Edwin (Buzz) Aldrin Jr. Desde então, outros dez astronautas já andaram na superfície lunar.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.