Monomotapa (que também se escreve “Mwene Matapa”) foi o título de uma linhagem de reis do sudeste da África, a partir do século XIV. Esse nome também foi usado para denominar o império que esses reis mantiveram do século XV ao século XVII. O território monomotapa ficava entre os rios Zambeze e Limpopo, onde se situam hoje dois países, Zimbábue e Moçambique.

Os monomotapas faziam parte do grupo étnico dos xonas. Devem ter sido relacionados ao povo de um império vizinho que tinha como centro a cidade conhecida como Grande Zimbábue.

Os habitantes do Império Monomotapa eram principalmente agricultores. Negociavam também ouro e marfim pela costa do oceano Índico.

Segundo a lenda, um líder chamado Mbire fundou a linhagem de reis monomotapas no século XIV. Seu tataraneto, Niatsimba, ergueu o império no fim do século XV. Niatsimba foi o primeiro rei a ter o título de monomotapa.

Exploradores portugueses chegaram à região no século XVI. Em 1629, coroaram um rei chamado Mavura. Ele se tornou cristão e acolheu comerciantes e também missionários que se dedicavam a expandir sua religião. No final do século XVII, o reino vizinho de Rozuí tomou o poder dos monomotapas.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.