A cidade de Montreal é a sede da região que tem o mesmo nome, na província do Quebec, no sudeste do Canadá. Hoje, a cidade em si ocupa cerca de três quartos da ilha de Montreal (Île de Montréal), a maior das 234 ilhas do arquipélago Hochelaga, perto da confluência dos rios Ottawa e São Lourenço.

Uma das cidades mais cosmopolitas da América do Norte, Montreal é citada com frequência como a segunda maior cidade do mundo em que o francês é a língua predominante (sendo Paris a primeira). Apesar disso, em várias áreas de Montreal ainda é preciso falar inglês para ser totalmente compreendido. Esse fenômeno reflete décadas de domínio da minoria de língua inglesa na vida econômica de Montreal.

Durante séculos, o tráfico colonial de peles impulsionou a economia local. Até hoje Montreal é a sede da maioria dos principais bancos, linhas ferroviárias e companhias de seguros canadenses, assim como da Organização da Aviação Civil Internacional, agência afiliada às Nações Unidas que estabelece as regras e os padrões para o tráfego aéreo internacional. A cidade também é um polo marítimo mercante e industrial.

A área de Montreal era chamada de Hochelaga pelos índios hurões, quando o navegador e explorador francês Jacques Cartier visitou-a em 1535-1536 em sua segunda viagem ao Novo Mundo. Mais de mil índios foram recebê-lo na encosta da montanha à qual ele deu o nome de Mont Réal, ou Mont Royal. Hochelaga desapareceu, dando lugar, nas margens do rio São Lourenço, a um povoado que o geógrafo e colonizador francês Samuel de Champlain chamou de Place Royale. Em maio de 1642, Paul de Chomedey, sieur (senhor) de Maisonneuve, fundou Ville-Marie, que viria a se tornar a atual Montreal. Nesse povoado, ele construiu moradias, uma capela, um hospital e outras estruturas, incluindo uma paliçada contra ataques de índios iroqueses e hurões.

Em 1672, Montreal já contava com 1.500 habitantes. Após render-se pacificamente em 1760 ao exército britânico, passou a integrar em 1763, juntamente com toda a Nova França, o império britânico na América do Norte. Em novembro de 1775, Montreal foi ocupada por forças revolucionárias americanas, as quais bateram em retirada na primavera, deixando de incorporar o Canadá aos novos Estados Unidos. A Confederação do Canadá foi proclamada em 1867.

Em 1900, a população de Montreal chegava a 270.000 habitantes. As duas guerras mundiais impulsionaram a vida econômica da cidade, a exemplo do que ocorreu na maioria dos polos industriais da América do Norte. Em 1995, a província votou contra sua separação do Canadá.

As Olimpíadas de Verão de 1976 foram um desastre financeiro para a cidade. O custo alto para construir e manter as instalações esportivas criou dívidas pesadas para a província. Além das dificuldades econômicas de Montreal, havia o movimento separatista do Quebec, que começou na década de 1960 e incluía atos ocasionais de violência na cidade. A partir do início da década de 1990, a economia passou a melhorar gradualmente, com destaque para o crescimento notável das áreas de alta tecnologia.

Montreal tem 1.649.519 habitantes e em sua área metropolitana vivem 3.536.000 habitantes (estimativas de 2011).

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.