O Muro de Berlim foi uma barreira construída pela República Democrática Alemã (Alemanha Oriental) em torno da parte oeste de Berlim, chamada de Berlim Ocidental. O objetivo era impedir o acesso a ela a partir de Berlim Oriental, da Alemanha Oriental e de áreas próximas.

Isso aconteceu porque, depois da Segunda Guerra Mundial, a Alemanha foi dividida em dois países, Alemanha Ocidental (aliada aos Estados Unidos) e Alemanha Oriental (aliada à União Soviética). Entre 1949 e 1961, cerca de 2,5 milhões de alemães que viviam no lado leste, de governo comunista, foram para o oeste, incluindo um grande número de trabalhadores especializados, profissionais e intelectuais. Muitas pessoas preferiam viver na Alemanha Ocidental. A perda de toda essa mão de obra ameaçou a sobrevivência econômica da Alemanha Oriental. Por isso, durante a madrugada do dia 13 de agosto de 1961 o muro foi construído. Foi traumático para as pessoas que tinham parentes e amigos do outro lado. O muro só foi derrubado em 1989.

O muro original foi feito com arame farpado e blocos cilíndricos, depois substituídos por uma parede de concreto com cerca de 5 metros de altura, encimado por arame farpado. Era vigiado por guardas armados, cães e torres de segurança, e havia minas em alguns pontos. Na década de 1980, esse muro, fortificado com cercas elétricas, se estendia por cerca de 160 quilômetros, dividindo a cidade de Berlim em duas partes: Berlim Ocidental e Berlim Oriental

O Muro de Berlim se tornou o símbolo da Guerra Fria: ao dividir a cidade, dividia a Europa em dois blocos, Ocidental e Oriental. De um lado, a República Federal da Alemanha (RFA) e o bloco ocidental, dos países capitalistas; de outro, a República Democrática Alemã (RDA) e os países socialistas ligados ao regime soviético.

O muro tornou-se um constante desafio. Cerca de 5 mil alemães do leste conseguiram cruzá-lo, de diversas maneiras, chegando ao lado oeste da cidade em segurança. Outros 5 mil foram capturados e presos e 191 acabaram mortos por guardas da Alemanha Oriental ao tentar atravessá-lo.

A liderança comunista da Alemanha Oriental foi forçada a deixar o poder em outubro de 1989, durante a onda de democratização que passou por todo o leste europeu. Em 9 de novembro, o governo da Alemanha Oriental abriu as fronteiras do país, inclusive em Berlim. Uma multidão eufórica imediatamente se formou ao longo do muro e iniciou sua derrubada.

O fim do muro permitiu a reunificação da Alemanha e marcou, simbolicamente, o fim dos regimes comunistas na Europa. Berlim, tendo finalmente voltado a ser uma só cidade, tornou-se depois a capital da nova Alemanha.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.