Napoleão Bonaparte foi imperador da França de 1804 a 1814. Voltou ao poder em 1815, por apenas cem dias. Foi um dos líderes militares mais bem-sucedidos de todos os tempos. Embora não fosse de alta estatura física, Napoleão projetou uma grande sombra na história da Europa.

Juventude

Napoleão Bonaparte nasceu em 15 de agosto de 1769, na Córsega, uma ilha do mar Mediterrâneo. Já naquele tempo a Córsega fazia parte da França. Napoleão entrou cedo para a escola militar e tornou-se oficial do exército francês com apenas 16 anos de idade.

Soldado

Napoleão estava em Paris, a capital da França, em 1792, quando o povo francês derrubou o rei Luís XVI e seu governo. Isso foi parte da Revolução Francesa.

Outros governantes europeus queriam conduzir o rei novamente ao poder. Napoleão era contra essa política e ajudou a defender o novo governo da França em uma série de guerras. Napoleão foi nomeado comandante do exército na Itália, e foi então lutar contra os austríacos e seus aliados. Logo se tornou um herói militar. A campanha italiana mostrou o gênio militar de Napoleão. Sua mente rápida assimilava cada detalhe geográfico que podia ajudar ou atrapalhar suas operações. Ele era capaz de antecipar os planos de seus inimigos, os quais ficavam supresos por seus movimentos rápidos. Sua tática favorita era dividir o exército inimigo em dois e depois jogar toda a sua força contra uma das metades antes que a outra pudesse reagir — era o velho princípio de dividir para conquistar.

Cônsul

Em 1799, um novo tipo de governo, o Consulado, foi implantado na França. Napoleão tornou-se o seu líder, chamado primeiro-cônsul, e fez muitas mudanças. Uma das mais importantes foi a criação de um novo conjunto de leis para o país, que ficou conhecido como Código Napoleônico. Foi o primeiro código civil a influenciar as leis de muitas nações, inclusive o Brasil. Napoleão continuou a combater outras potências europeias e construiu então um império por meio de uma série de guerras chamadas Guerras Napoleônicas.

Imperador

Em 1804, Napoleão se autoproclamou imperador da França. Outros países se uniram contra ele, mas, assim mesmo, ele foi conseguindo muitas vitórias, entre elas a invasão da Espanha e do Portugal. A ocupação napoleônica na Espanha teve consequências políticas muito importantes já que promoveu os movimentos independentistas de todas as colônias espanholas na América continental. No caso de Portugal, foi para escapar do domínio de Napoleão que o rei dom João VI (junto com sua família e a corte portuguesa) transferiu a sede da Coroa para o Rio de Janeiro, no Brasil, em 1808.

Em 1812, Napoleão resolveu invadir a Rússia. Essa invasão foi um desastre para a França. Centenas de milhares de soldados seus morreram durante o gelado inverno russo.

Os inimigos de Napoleão perceberam que aí estava sua oportunidade de derrubá-lo. A Grã-Bretanha, a Áustria e a Prússia (que era parte da Alemanha) se uniram à Rússia e derrubaram Napoleão do poder em 1814.

Últimos anos

Napoleão foi enviado preso para Elba, uma pequena ilha na costa da Itália. Em 1815, porém, escapou e voltou para a França. Então, reuniu seus apoiadores e tomou outra vez o poder. Esse período ficou conhecido como “os Cem Dias”. Seu novo governo durou até que as tropas britânicas e alemãs o vencessem na Batalha de Waterloo, na Bélgica, em junho de 1815.

Dessa vez Napoleão foi enviado para longe: Santa Helena, uma pequena ilha situada no meio da parte sul do oceano Atlântico. Morreu lá, no dia 5 de maio de 1821.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.