Olinda é uma das principais cidades históricas do Brasil, constituindo um dos povoados mais antigos do país. Fica no estado de Pernambuco. Tem arquitetura colonial muito bem preservada, o que lhe valeu o título de Patrimônio da Humanidade dado pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) em 1982. A cidade faz parte da Região Metropolitana do Recife.

Economia

O forte na economia de Olinda é o setor de serviços, voltado para o turismo. Hotéis, bares, restaurantes, transportes, serviços financeiros, comunicações, tudo se mobiliza para o atendimento às necessidades de milhares de visitantes e o fornecimento de suporte para as atrações locais. O Carnaval é a data principal para a cidade, atraindo visitantes do mundo todo e gerando recursos. São famosos os desfiles dos blocos e dos bonecos gigantes, ao som do frevo e do maracatu.

Mais de 60 por cento da economia da cidade é voltada para a área de serviços. O comércio também tem peso significativo, com 12 por cento da atividade econômica de Olinda.

História

Em 1535, o português Duarte Coelho chegou à costa brasileira para tomar posse da capitania de Pernambuco. Conta-se que o nome do lugar se gerou da exclamação feita por Duarte Coelho, que, ao avisar a região, teria dito: “Ó linda!” Pouco tempo depois, deu início a um povoado, que acabou gerando Olinda, que é, portanto, uma das mais antigas cidades brasileiras. A região prosperou rapidamente, com a implantação de engenhos de açúcar e o desenvolvimento da agricultura. Assim, em 1537, foi elevada à categoria de vila. Com o aumento do extrativismo do pau-brasil e o desenvolvimento da cultura da cana-de-açúcar, a vila de Olinda tornou-se, ainda no século XVI, um dos mais importantes centros comerciais da colônia.

Em 1630, os holandeses invadiram e dominaram Pernambuco. Eles decidiram incendiar Olinda e transferir a capital de sua conquista para Recife. Achavam que a vila não oferecia segurança, sendo vulnerável a ataques vindos pelo mar. Com o fim do domínio holandês e a expulsão dos invasores, em 1654, Olinda voltou a ser oficialmente a capital da capitania de Pernambuco e começou lentamente a ser reconstruída. Mas não reconquistou seu prestígio, mesmo tendo se tornado uma cidade. Passou a viver sob a sombra do desenvolvimento econômico de Recife.

No início do século XIX, com a fundação do Seminário Diocesano e da Faculdade de Direito, a cidade transformou-se em polo estudantil. Em 1827, deixou de ser a capital da então província de Pernambuco. No século XX, descobriu sua vocação turística.

Atualmente, a cidade de Olinda possui uma população de 397.268 habitantes (estimativa de 2009).

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.