Os Pampas são uma região da América do Sul caracterizada por extensas planícies e suaves colinas (conhecidas como coxilhas) cobertas por ricas pastagens naturais. Os Pampas ocupam mais da metade do território do Rio Grande do Sul e toda a superfície do Uruguai, além de se espalhar pelas províncias argentinas de Buenos Aires, La Pampa, Santa Fé, Entre Rios e Corrientes.

Características físicas

Os Pampas, também chamados Campos do Sul, Campos Sulinos ou Campanha Gaúcha, constituem um dos seis biomas terrestres brasileiros. Os outros são a Amazônia, o Cerrado, a Mata Atlântica, a Caatinga e o Pantanal. Ocupam uma área de 176.496 quilômetros quadrados, correspondente a 63 por cento do território do Rio Grande do Sul e 2,07 por cento do território brasileiro. São o quinto bioma em extensão (o sexto é o Pantanal, com 150.355 quilômetros quadrados).

Campos cobertos de grama a perder de vista dominam a paisagem dos Pampas. A vegetação ainda inclui plantas rasteiras, árvores e arbustos. Apenas na parte brasileira foram identificadas mais de 3 mil espécies de plantas. Dessas, cerca de quatrocentas são variedades de gramíneas. A vegetação de maior porte em geral se localiza nas margens dos cursos de água. Os Pampas também abrigam pelo menos 385 espécies de aves (papagaios, perdizes, rolinhas) e noventa espécies de mamíferos terrestres (gatos-do-mato, capivaras, tatus).

O clima (subtropical) apresenta estações definidas. Em casos extremos, o termômetro pode atingir 40°C no verão e descer a 0°C no inverno. Nos meses mais frios, sopra o minuano (ou pampeiro), um vento gelado e seco que vem da Argentina. Mas em geral as temperaturas são amenas. As chuvas se distribuem com regularidade ao longo do ano. As secas prolongadas são raras. As condições naturais favorecem a agricultura e a pecuária.

A riqueza das pastagens

Introduzido na região no século XVI, o gado se espalhou rapidamente pelos Pampas. As pastagens naturais favoreceram a multiplicação dos rebanhos. Até meados do século XVIII, vacas e touros eram abatidos como animais selvagens por caçadores mais interessados em seu couro. Foi nesse periodo que surgiu o gaúcho, habitante dos Pampas, descendente mestiço de europeus, índios e africanos, que dedicava-se ao cuidado do gado. Com o povoamento e a formação de fazendas, o gado passou a ser explorado como fonte de alimento. A pecuária se tornou a grande fonte de riqueza do Rio Grande do Sul, como também da Argentina e do Uruguai.

Ao longo do século XX, com a industrialização da região metropolitana de Porto Alegre e de cidades do norte do estado, a Campanha Gaúcha perdeu importância na economia regional. Migrações internas contribuíram para despovoar e empobrecer os Pampas. O esforço da população, aliado a políticas públicas afirmativas, tenta recuperar a prosperidade e livrar os Pampas das ameaças de degradação ambiental.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.