O Paquistão é um país muçulmano do sul da Ásia que divide sua história inicial com a vizinha Índia, da qual se separou em 1947. A capital do Paquistão é Islamabad. O país tem 196.174.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 881.889 km2.

Geografia

O Paquistão faz fronteira com o Irã, o Afeganistão, a China e a Índia. O mar da Arábia, que é uma parte do oceano Índico, fica ao sul. A região chamada Caxemira situa-se no nordeste. O Paquistão e a Índia lutaram durante muito tempo pelo controle desse território.

No norte do Paquistão, o Himalaia e os montes Karakorum têm algumas das montanhas mais altas do mundo. Entre elas está o K2, com 8.611 metros, o segundo pico mais alto do mundo (o primeiro é o monte Everest). A parte ocidental do Paquistão é uma região muito seca, com desertos, lagos salgados e uma estreita planície ao longo da costa. O rio Indo corre através de planícies férteis no leste.

O Paquistão geralmente é muito seco. Ventos denominados monções trazem um pouco de chuva no verão.

Flora e fauna

Algumas florestas se espalham pelas escarpas das montanhas do Paquistão. Pastos, arbustos secos e pequenas árvores crescem no restante do país.

Ursos-pardos, ursos-pretos-do-himalaia, carneiros selvagens e raros leopardos-das-neves vivem na parte norte das montanhas. A área próxima à foz do rio Indo tem crocodilos, pítons e porcos-monteses. Chacais, raposas, gatos selvagens e muitos roedores e répteis vivem em todas as regiões do país.

População

O povo paquistanês é uma mistura de diferentes grupos que migraram para a região durante milhares de anos. Os cinco principais grupos são os punjabis, os pashtos, os sindhis, os baluchis e os muhajirs. Os punjabis formam cerca de metade da população. Sua língua, chamada punjabi, é a mais comumente falada, embora o urdu seja o idioma oficial do governo e da educação.

Quando o Paquistão se separou da Índia, milhões de muçulmanos deixaram a Índia para se estabelecer na região. Eram descendentes dos muhajirs, e seu idioma era o urdu. Quase todos no Paquistão praticam o islamismo.

A maioria do povo vive nas áreas rurais, mas as cidades cresceram rapidamente. Há maior concentração de habitantes na região leste do país.

Economia

Muitos paquistaneses trabalham no setor de serviços, como transporte, comunicações e funcionalismo público. Grande parcela da população trabalha na agricultura. As principais culturas são trigo, arroz, cana-de-açúcar e algodão. Há criação de cabras, ovelhas, gado bovino e búfalos.

É da agricultura que vem a matéria-prima para uma das atividades mais importantes do país: o algodão. O Paquistão exporta algodão e também tecidos e roupas para outros países. Muita gente se dedica à fabricação de tapetes de , bem como à confecção de artigos de couro e de pele animal. Outras indústrias fabricam fertilizantes, alimentos processados e cimento. O país também tem minas de carvão, poços de petróleo e gás natural.

História

O Paquistão divide muito de sua história inicial com a Índia, pois era parte dela. Mais de 4 mil anos atrás, grandes cidades existiram onde hoje fica o Paquistão, no vale do rio Indo. Arianos, gregos, turcos e outros povos invadiram mais tarde a região. O Império Mogol dominou a área no início do século XVI. Na década de 1850, a Grã-Bretanha conquistou a Índia.

Separação da Índia

Quase cem anos depois, em 1947, os britânicos dividiram a Índia em dois países: Paquistão e Índia. As partes da Índia britânica que possuíam mais muçulmanos tornaram-se o Paquistão. As partes com mais hindus permaneceram como Índia. O Paquistão compreendia duas regiões, o Paquistão Ocidental e o Paquistão Oriental, separados por mais de 1.600 quilômetros de território indiano.

Quando as fronteiras se formaram, muitos muçulmanos trocaram a Índia pelo Paquistão, e muitos hindus deixaram o Paquistão pela Índia. Milhares de pessoas morreram em consequência dos enfrentamentos entre os dois grupos.

Guerra

Tanto o Paquistão como a Índia queriam a região chamada Caxemira. O conflito envolvendo a Caxemira conduziu à guerra entre os dois países em 1965. No final desse ano, eles concordaram em terminar a guerra, mas continuaram a lutar pelo território de tempos em tempos. O conflito se tornou mais sério em 1998, quando ambos os países testaram armas nucleares.

Enquanto isso, o povo do Paquistão Oriental lutava para se separar do Paquistão Ocidental e se tornar independente. Uma guerra civil (ou seja, entre duas partes de um mesmo país) começou em 1971. Com a ajuda do exército indiano, o Paquistão Oriental tornou-se um país independente, com o nome de Bangladesh, em 1972.

Tempos recentes

O governo do Paquistão mudou frequentemente após a independência. Os militares tomaram o controle várias vezes, mas outros líderes foram eleitos. Benazir Bhutto cumpriu dois mandatos nas décadas de 1980 e 1990. Ela foi a primeira mulher a liderar um país muçulmano em tempos atuais. Pervez Musharraf foi outro líder poderoso. Em 2001, Musharraf apoiou os Estados Unidos na guerra contra os terroristas no vizinho Afeganistão. Muitos paquistaneses protestaram contra essa decisão. Musharraf foi forçado a abrir mão do controle do país em 2008. Em 2011, tropas dos Estados Unidos capturaram e mataram o líder terrorista Osama bin Laden no Paquistão.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.