Parati é uma cidade histórica brasileira, situada no litoral do Rio de Janeiro, próximo à divisa com o estado de São Paulo. Seu centro histórico é de ruas estreitas, com o leito carroçável feito de pedras. As casas são do tempo colonial e formam um conjunto arquitetônico que foi considerado, pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), como o mais harmonioso hoje existente em seu estilo no Brasil. O centro histórico é também tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), ou seja, é um patrimônio nacional.

História

Na época da chegada dos primeiros navegantes portugueses, o território em que atualmente se localiza a cidade de Parati era ocupado pelos índios guaianás. Alguns historiadores afirmam que entre 1540 e 1560 já havia um núcleo colonizador na região. Mas o ano oficialmente registrado do surgimento de Parati é 1606, quando chegaram os primeiros sesmeiros — cidadãos beneficiados com sesmarias, lotes de terra doados pelo rei de Portugal para serem cultivados. Os sesmeiros vinham da capitania de São Vicente. O primeiro núcleo populacional organizado levou o nome de São Roque.

Com a descoberta do ouro em Minas Gerais, a região tornou-se ponto obrigatório de parada para quem ia do litoral para a região das montanhas mineiras. O povoado prosperou rapidamente. Em 1667, foi elevado à condição de vila, já com o nome de Parati.

Os paulistas desciam a serra do Mar com produtos da lavoura para comercializá-los em Parati. O porto local também tornou-se bastante movimentado com o comércio crescente de café, arroz, milho, feijão, aguardente e farinha. O ouro de Minas Gerais também foi escoado por Parati até 1703, quando uma Carta Régia criou o Registro do Ouro, concentrando o escoamento desse metal precioso pelo porto de Santos.

Na segunda década do século XVIII, um novo caminho foi desbravado diretamente entre o Rio de Janeiro e Minas Gerais. Com isso, Parati — que em 1844 alcançou a condição de cidade — começou a perder importância. Com a abolição da escravatura, em 1888, os trabalhadores rurais partiram da cidade e a economia local, baseada na produção de açúcar e de aguardente, entrou em colapso. O porto se manteve bastante movimentado até o final do século XIX.

Parati, hoje

Em meados do século XX, uma estrada foi aberta entre Parati e Cunha, no estado de São Paulo. Foi o início do reerguimento da cidade, que começou a investir na lavoura e no turismo. Muitos hotéis, pousadas, restaurantes e lojas de artesanato foram abertas, para atender a um público sempre interessado nas atrações históricas locais e em conhecer as inúmeras praias da região, através dos passeios de barcos.

A cidade tem muitos eventos e festejos. Um dos mais conhecidos é a Festa Literária Internacional de Parati (FLIP), que atrai, no meio do ano, muitos turistas. Escritores brasileiros e estrangeiros se reúnem na cidade para palestras e encontros literários, que atraem estudantes e leitores de todos os cantos. Um evento popular que tambem atrai muitas pessoas de fora é a Festa do Divino, que se realiza perto de dois meses depois da Páscoa.

Parati tem uma população de 35.730 habitantes (estimativa de 2009).

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.