O Piauí (sigla: PI) é um estado da região Nordeste do Brasil. Sua capital é Teresina. Tem 3.119.015 habitantes (censo de 2010) e ocupa uma área de 251.529 km2.

Geografia

O Piauí é um estado litorâneo, banhado pelo oceano Atlântico, embora seu litoral seja o menor entre os estados marinhos brasileiros: tem apenas 66 quilômetros. O estado faz divisa com Bahia, Tocantins, Ceará, Pernambuco e Maranhão.

O relevo se caracteriza pela planície litorânea, por planaltos e depressões. Os principais rios são o Parnaíba, o Poti, o Canindé, o Piauí, o Gurgueia e o Longá. O estado também tem várias lagoas, como a de Paranaguá, a de Buriti e a do Cajueiro.

O Piauí tem clima tropical no litoral e semiárido no interior.

Flora e fauna

A flora e a fauna piauienses são características dos ecossistemas do Cerrado e da Caatinga.

No Cerrado predominam árvores baixas e arbustos de galhos retorcidos e raízes profundas. Ali vivem, por exemplo, lobos-guará, emas, gaviões, urubus-reis e muitas espécies de répteis.

Na Caatinga há cactos, árvores baixas e arbustos que perdem as folhas nas estações secas. Entre os animais, há várias espécies de morcegos, lagartos e serpentes, onças-pintadas, macacos-pregos, saguis, mocós e muitas espécies de aves, como a andorinha.

O Parque Nacional da Serra da Capivara preserva grande número de espécies vegetais e animais da Caatinga ameaçadas de extinção.

Na zona de transição entre a floresta Amazônica e a Caatinga, encontra-se a mata dos Cocais, que é composta principalmente de babaçu, carnaúba, buriti e tucum.

População

No Piauí há sítios arqueológicos com vestígios de presença humana que datam da Pré-História. O sítio arqueológico Toca do Boqueirão da Pedra Furada tem uma grande quantidade de pinturas rupestres e é considerado um dos locais de arte pre-histórica mais importante do mundo.

Na época da colonização portuguesa, a região era habitada por indígenas de vários grupos, como os tremembés e os acroás. No século XVII, migrantes do Maranhão, do Ceará, de Pernambuco e da Bahia começaram a chegar ao atual Piauí. Eles constituíram a maior parte da base da atual população piauiense.

Muitos migrantes chegavam trazendo africanos escravizados para trabalhar como vaqueiros. Conforme a pecuária avançava, novas levas de escravos passaram a ser importadas.

Houve violentos confrontos entre os colonos e os indígenas. Muitos índios foram mortos e os restantes deixaram a região.

Economia

A economia do Piauí se baseia na agricultura e na pecuária. O extrativismo vegetal também tem papel importante. O estado cultiva algodão, feijão, mandioca, milho, arroz e cana-de-açúcar. Destaca-se na produção de castanha de caju e também extrai madeira, tucum, carnaúba, babaçu e oiticica.

Na pecuária, são expressivos os rebanhos de cabras e ovelhas. Há ainda criações de bovinos, suínos, equinos, muares e asininos. A avicultura também é relevante, assim como a apicultura.

A indústria tem-se desenvolvido, com a expansão de polos industriais em Teresina e Parnaíba. E o setor de serviços gera parte significativa da renda do estado.

História

Diferentemente do que aconteceu na maioria dos estados do Nordeste, a ocupação do Piauí ocorreu do interior para o litoral. Teresina é a única capital do Nordeste que não está situada no litoral.

Os povoados surgiram em torno de fazendas e currais, que começaram a se instalar a partir do século XVII. A pecuária foi a atividade econômica predominante na formação do estado.

O território que hoje corresponde ao Piauí foi se definindo ao longo do tempo. Pertencia inicialmente à capitania de Pernambuco; depois passou para o domínio da Bahia; mais tarde pertenceu novamente a Pernambuco; e, finalmente, ao Maranhão.

Em 1758, o Piauí se tornou uma capitania independente, com a capital em Oeiras. Em 1852, a capital foi transferida para Teresina.

Os conflitos armados entre sesmeiros e posseiros eram frequentes no século XVIII. Sesmeiros eram aqueles que recebiam doação de sesmarias, lotes de terra dados pela coroa portuguesa. Muitos sesmeiros viviam na Bahia e em Pernambuco e nem chegavam a conhecer suas propriedades no Piauí. Eles disputavam a posse da terra com os posseiros piauienses, que criavam gado e cultivavam a terra.

Em 1822, quando o Brasil declarou-se independente de Portugal, ocorreram conflitos no Piauí. Os que apoiavam a independência enfrentaram tropas portuguesas que resistiam à emancipação.

De 1838 a 1841, o Piauí envolveu-se na Balaiada, movimento revolucionário iniciado no Maranhão e que se estendeu também ao Ceará.

No final do século XIX, a pecuária declinou no estado, abalando seriamente a economia local. No mesmo período teve início a exportação de algodão.

Hoje o Piauí enfrenta importantes problemas econômicos e sociais. O estado está entre os mais pobres do Brasil.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.