O filósofo grego Platão (que nasceu por volta de 428 a.C. e morreu em cerca de 348 a.C.) é considerado um dos maiores pensadores do mundo. Como Aristóteles e Sócrates, é lembrado por ter desenvolvido as ideias e os pensamentos que formaram a atual cultura do Ocidente.

Juventude

Nascido em Atenas, de família próspera e respeitada, Platão, como a maioria dos jovens atenienses de seu tempo, interessou-se desde cedo por política e filosofia. Seguidor de Sócrates, aprendeu muito com ele. Porém Sócrates tinha muitos inimigos, porque questionava as pessoas e com frequência mostrava que elas não eram tão sábias ou boas como se diziam.

Os governantes de Atenas julgaram Sócrates e o condenaram à morte, o que deixou Platão muito abalado, levando-o a pensar que o sistema político de Atenas tinha muitos problemas e que ele não queria fazer parte daquilo. Começou assim a viajar pela Grécia, pelo Egito e pela Itália.

A Academia

Por volta de 387 a.C., Platão criou a Academia de Atenas. Aristóteles foi um de seus alunos, e ali Platão ensinou filosofia, leis, raciocínio lógico, matemática e ciências durante o resto de sua vida. A Academia sobreviveu por centenas de anos à sua morte e é considerada a precursora da universidade moderna.

Ideias e escritos

Platão não foi apenas um pensador brilhante, mas também um grande escritor. Muitas de suas obras ainda são estudadas, e A república é uma das mais conhecidas.

Seu trabalho é muito abrangente: ele queria que os alunos fundamentassem todos os pensamentos e ideias que tivessem. Escreveu sobre inúmeros temas, inclusive geometria, amor e política. Suas ideias com frequência estavam voltadas para a ética, ou seja, as questões sobre o que está certo ou errado e o bem e o mal.

É impossível saber quais ideias eram dele e quais desenvolveu a partir de discussões com Sócrates, uma vez que seu mestre não deixou nada por escrito. Na obra de Platão estão presentes muitas discussões com os estudantes, todas na forma de diálogos, como se as pessoas estivessem conversando sobre as ideias filosóficas.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.