A República da Polônia é um país do leste da Europa. Seus contornos geográficos mudaram muitas vezes ao longo da história do país. Houve épocas em que ele até deixou de existir, quando potências estrangeiras tomaram seu território. No final do século XX, a Polônia liderou a luta contra o comunismo, uma forma rígida de governo, na Europa oriental. A capital da Polônia é Varsóvia. O país tem 38.483.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 312.679 km2.

Geografia

A Polônia faz fronteira com vários outros países: Alemanha, República Tcheca, Eslováquia, Ucrânia, Bielo-Rússia, Lituânia e Rússia. O mar Báltico fica ao norte.

A maior parte do país tem relevo baixo e plano, mas há montanhas e colinas no sul. Os montes Tatra, na fronteira com a Eslováquia, formam a serra mais alta. Os principais rios poloneses são o Vístula e o Oder, que deságuam no mar Báltico.

O clima é quente no verão, e no inverno há neve. Chove e neva principalmente nas montanhas.

Flora e fauna

Cerca de 25 por cento do território polonês é recoberto de florestas, e as árvores mais comuns são lariços, faias, carvalhos, bétulas e pinheiros. Nas florestas há cervos, porcos-do-mato, castores e alces. Ursos, linces e camurças (animais semelhantes a cabras) habitam as montanhas. No leste do país vive uma população pequena de bisões-europeus.

População

A maior parte dos habitantes da Polônia é nascida no país. Há um número pequeno de habitantes ucranianos, alemães e bielo-russos. As pessoas falam o polonês, uma língua que tem parentesco com o tcheco e o eslovaco. A religião principal é o catolicismo, e mais da metade da população vive nos centros urbanos.

Economia

Serviços como os bancários, de comunicações e de turismo são os setores da economia polonesa que vêm crescendo mais rapidamente. O setor manufatureiro também é importante. As fábricas polonesas produzem artigos alimentícios, máquinas, equipamentos para transportes, ferro, aço e produtos químicos. Há minas de carvão, enxofre, cobre e prata.

Embora muitos poloneses trabalhem no campo, a agricultura tem peso relativamente pequeno na economia do país. São cultivados principalmente trigo, batatas e beterrabas, e os fazendeiros poloneses também criam porcos, galinhas, caprinos e gado bovino. Ovos e laticínios são importantes produtos dessas criações.

História

Os poloneses chegaram à região que hoje é a Polônia há mais de 3 mil anos. A história escrita do país começa no século X d.C. Naquela época, a família Piast chegou ao poder na região, dando início a uma dinastia que se converteu ao cristianismo em 966.

A dinastia Piast reinou na Polônia até o século XIV. Em 1386, a rainha polonesa Jadwiga casou-se com Ladislau II Jagiello, grão-duque da Lituânia. O casamento uniu a Polônia e a Lituânia, que, juntas, ficaram conhecidas como Comunidade Lituano-Polonesa, ou União de Lublin, e deu início à dinastia Jaguelão. Os governantes jaguelônicos controlaram a Hungria e a Boêmia (hoje parte da República Tcheca). Eles combateram e derrotaram inimigos poderosos.

A Polônia enfraquecida

Após o fim da dinastia Jaguelão, em 1572, a Comunidade Lituano-Polonesa foi governada por reis fracos. No século XVII, a comunidade travou guerras ruinosas contra a Suécia, a Rússia e a Turquia.

Em 1772, a Rússia, a Prússia (parte da Alemanha) e a Áustria tomaram uma parte do território da Comunidade Lituano-Polonesa para cada uma delas. As três potências dividiram a região novamente em 1793. Após uma terceira divisão, em 1795, a Polônia deixou de existir como país uno.

Os poloneses formaram um novo reino em 1815, mas os russos assumiram o controle dele. O povo polonês promoveu várias revoltas contra o domínio russo, e a Rússia reagiu reprimindo a cultura polonesa. Ordenou, inclusive, que o idioma russo fosse usado nas escolas locais, em lugar do polonês.

Renascimento da Polônia

A Primeira Guerra Mundial, entre 1914 e 1918, levou ao renascimento da Polônia. A guerra enfraqueceu a Rússia, a Áustria e a Alemanha, as três potências que tinham reinado sobre as terras polonesas por mais de cem anos. A Polônia tornou-se república independente em 1918.

Segunda Guerra Mundial

A Alemanha e a Rússia (que nessa época já fazia parte da União Soviética) continuaram interessadas no domínio de territórios poloneses. Em 1939, os dois países fecharam um acordo secreto para dividir a Polônia entre eles. Em setembro de 1939, a Alemanha invadiu o oeste da Polônia. Essa invasão marcou o início da Segunda Guerra Mundial. Pouco depois, a União Soviética assumiu o controle da parte leste do país.

Em 1941, a Alemanha se voltou contra a União Soviética e assumiu o controle de toda a Polônia. Os nazistas alemães mataram cerca de 3 milhões de judeus poloneses, como parte do massacre conhecido como Holocausto. Muitos outros poloneses morreram combatendo os nazistas. Em 1943, alguns judeus de Varsóvia promoveram uma revolta contra os nazistas, mas foram derrotados.

Comunismo

A União Soviética expulsou o exército alemão da Polônia em 1945. Depois da guerra, a Polônia perdeu suas terras orientais para a União Soviética, mas ganhou território da Alemanha no oeste. Enquanto isso, a União Soviética instaurou um governo comunista na Polônia. A polícia secreta prendia, encarcerava e às vezes matava pessoas que discordassem do governo. O regime comunista também assumiu o controle da maioria das empresas.

Em 1980, um eletricista chamado Lech Walesa ajudou a reunir quase 10 milhões de trabalhadores poloneses em uma organização chamada Solidariedade, que promoveu protestos contra o governo comunista. No ano seguinte, as autoridades declararam o grupo ilegal. Muitos membros do Solidariedade foram presos.

A Polônia moderna

Em 1989, após mais protestos, o governo legalizou o Solidariedade. Pouco depois o comunismo caiu. Em 1990, a Polônia elegeu Lech Walesa presidente. Ele e outros líderes posteriores trabalharam para melhorar a economia do país. A Polônia entrou para a União Europeia em 2004.

Em abril de 2010, uma tragédia abalou o país: o presidente Lech Kaczynski e mais 88 líderes militares e civis do estado polonês morreram em um acidente de avião. Eles haviam decolado de Varsóvia e pouco antes de pousar no oeste da Rússia ocorreu o desastre. A delegação polonesa ia participar das homenagens aos milhares de poloneses mortos, em 1940, pelos serviços secretos soviéticos, no que ficou conhecido como massacre de Katyn.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.