Ao longo de sua história, a Rússia sempre foi uma nação poderosa. No século XX, foi a parte principal de um país maior, chamado União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (ou, de forma resumida, União Soviética). A capital da Rússia é Moscou. Hoje, ela é o maior país do mundo, com uma área de 17.098.200 km2. Sua população é de 144.370.000 habitantes (estimativa de 2016).

Geografia

A Rússia se estende do leste da Europa até o leste da Ásia, chegando ao oceano Pacífico. A oeste o país tem fronteira com o mar Báltico, a Noruega, a Finlândia, a Estônia, a Letônia, a Bielo-Rússia e a Ucrânia. A pequena província russa de Kaliningrado fica separada do resto do país, entre a Lituânia e a Polônia. A sudoeste ficam os mares Negro e Cáspio, a Geórgia e o Azerbaijão. Ao sul, o Cazaquistão, a Mongólia, a China e a Coreia do Norte. O oceano Ártico banha o território ao norte.

Parte da Rússia fica na Europa e parte fica na Ásia. A cordilheira dos Urais, com suas montanhas baixas, é uma linha divisória dos dois continentes. A Rússia europeia é uma enorme planície com colinas esparsas. Ao sul da planície ficam as montanhas do Cáucaso. A parte asiática da Rússia abrange a extensa região chamada Sibéria, que inclui uma planície e um platô (área elevada e plana). O nordeste russo tem cadeias de montanhas e vulcões.

Muitos rios extensos correm pela Sibéria, incluindo o Ob, o Lena e o Ienissei. O lago mais profundo do mundo, chamado Baikal, também fica na Sibéria; sua profundidade é de pelo menos 1.620 metros. O rio mais importante da Rússia europeia é o Volga. Em geral, o país tem verões quentes e invernos muito frios, com muita neve.

Flora e fauna

Um país tão grande tem uma natureza variada. Uma região sem árvores chamada tundra se estende ao longo da costa norte da Rússia. Nessa área crescem apenas musgos, liquens e gramíneas. Ao sul da tundra fica a taiga, área de florestas perenes que se alonga por grande parte da Sibéria. Na Rússia europeia há florestas de freixos, abetos, aveleiras, carvalhos e outras árvores. Uma área de gramíneas, chamada estepe, cobre o sul do país.

Entre os animais da tundra destacam-se a rena, a raposa-do-ártico e o boi-almiscarado. A taiga abriga zibelinas, esquilos, raposas, alces e ursos. Marmotas, cangambás e lobos são comuns na estepe.

População

Cerca de 80 por cento da população, predominantemente urbana, compõe-se de russos. Os grupos minoritários mais importantes são os tártaros e os ucranianos. A língua falada pela maioria é o russo.

Cerca de 35 por cento dos habitantes da Rússia não têm religião. Mais ou menos 50 por cento são cristãos que seguem a Igreja Ortodoxa. O restante é composto por grupos menores de muçulmanos, protestantes e judeus.

A capital, Moscou, é a maior cidade do país. A segunda maior cidade é São Petersburgo, que antigamente se chamava Leningrado.

Economia

A maioria dos trabalhadores russos atua no setor de serviços, sobretudo nas áreas financeira, da ciência e tecnologia, da educação e do transporte. O comércio internacional também constitui uma parte significativa da economia.

Das fábricas russas saem metais, maquinaria, cimento, produtos químicos, veículos automotores, equipamentos militares e outros bens. A Rússia também é grande produtora de carvão, petróleo e gás natural. Suas minas fornecem minério de ferro, cobre, níquel, zinco e outros minerais. As grandes florestas fornecem madeira.

Os agricultores da Rússia plantam sobretudo cereais, como trigo, centeio, cevada e aveia. Entre as outras culturas, as mais importantes são a batata, a beterraba, o milho e a semente de girassol. Os gados bovino, suíno e ovino são o forte da pecuária russa. A pesca também é grande fonte de alimentos e de recursos para a economia.

História

Há milhares de anos, a região hoje ocupada pela Rússia já era habitada. Os eslavos do leste da Europa estabeleceram-se no sudoeste durante o século IV.

No século IX, o território dos eslavos do leste recebeu grupos de vikings escandinavos (dinamarqueses, suecos e noruegueses) conhecidos como varegos. Eles se mesclaram aos eslavos e passaram a ser chamados de “rus”, palavra da qual deriva o nome do país.

A cidade de Kiev foi a capital do território, que ficou conhecido como Rus Kievana e se tornou o maior país da Europa na época.

Os mongóis e Moscóvia

No século XIII, guerreiros da Ásia central conhecidos como mongóis, ou tártaros, invadiram Rus Kievana. Os mongóis fundaram um reino chamado Horda Dourada. Durante o seu domínio, dois fortes estados russos se desenvolveram: Novgorod e Moscóvia. Novgorod tornou-se um estado poderoso da Rússia ocidental, ao passo que no norte o poder mais forte era o de Moscóvia, ou Moscou.

Em 1478, o governante de Moscóvia, Ivan III (também conhecido como Ivan, o Grande), conquistou Novgorod. Dois anos depois, ele derrotou os mongóis e tornou independentes as terras russas. Ivan IV assumiu o trono em 1533 e deu a si mesmo o título de czar (imperador) de toda a Rússia. Ele ficou conhecido como Ivan, o Terrível, em razão de seu domínio cruel e violento.

A dinastia Romanov

Em 1613, Miguel Romanov tornou-se czar. Sua família dominou a Rússia até 1917. Sob o comando dos Romanovs, a Rússia tornou-se um dos estados mais poderosos da Europa.

Pedro I, chamado de Pedro, o Grande, tornou-se czar em 1682. Ele ampliou o território russo e construiu uma nova capital, à qual deu o nome de São Petersburgo. Catarina II, chamada de Catarina, a Grande, assumiu o trono em 1762. Ela também expandiu a Rússia. Nicolau II, que se tornou czar em 1894, foi o último dos governantes da dinastia Romanov.

A Revolução Russa

Em 1914, a Rússia entrou na Primeira Guerra Mundial. Após três anos de terríveis derrotas, a população se rebelou contra o czar, em março de 1917. Nicolau II abdicou e o país estabeleceu um governo temporário.

Em novembro de 1917, os bolcheviques assumiram o controle da Rússia. Liderados por Vladimir Lênin, os bolcheviques instalaram um governo comunista. O novo governo assinou a paz com a Alemanha, pondo fim à participação russa na Primeira Guerra Mundial.

A União Soviética

Descontente com as perdas sofridas durante a guerra e com o acordo feito com a Alemanha, uma parcela da população armou-se contra o governo, dando início a uma guerra civil: a dos Vermelhos (os bolcheviques) contra os Brancos (outros grupos que queriam dominar o país). Os Vermelhos venceram, em 1920. Nicolau II e toda a sua família foram executados. Em 1922, os bolcheviques criaram a União Soviética. A Rússia era a maior república, ou estado, do novo país. Lênin morreu dois anos depois, e em seu lugar assumiu Joseph Stálin. O governo comunista da União Soviética exerceu por vezes um domínio cruel. Milhões de pessoas morreram durante o governo de Stálin, que permaneceu no poder até sua morte, em 1953.

Nas últimas décadas do século XX, muitos soviéticos queriam mais liberdade e uma economia melhor. O governo não conseguia resolver os problemas do país. Em 1991, a União Soviética se dissolveu.

Uma nova Rússia

A Rússia voltou a ser um país independente. Um novo governo democrático deu ao povo mais direitos e liberdades, mas teve de lidar com uma economia fraca e com muitas revoltas e movimentos separatistas. Um deles ocorreu na região da Tchetchênia, no sudoeste, que queria se tornar independente da Rússia. As lutas entre soldados russos e rebeldes na Tchetchênia, iniciadas em meados da década de 1990, continuaram no século XXI. Em 2014, pela primeira vez a Rússia sediou os Jogos Olímpicos de Inverno, que aconteceram na cidade de Sochi.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.