Artur foi um rei lendário da antiga Grã-Bretanha. Ele aparece em um conjunto de histórias, as chamadas lendas arturianas, que juntam fatos históricos, mitos, contos populares e religiosidade. Essas histórias encantam a imaginação das pessoas há centenas de anos.

Alguns estudiosos acreditam que Artur tenha realmente vivido na Grã-Bretanha, no século IV ou V. Ele teria sido o líder dos celtas cristãos na luta contra os invasores saxões. Com a morte de Artur em combate, seus súditos teriam fugido para o País de Gales e para a Bretanha, na França. A partir daí, começaram a surgir as histórias sobre a bravura e a bondade do rei, também lembrado como poderoso e sábio.

A lenda de Artur

Segundo a tradição, Artur era filho do rei Uther Pendragon. Quando criança, foi deixado aos cuidados do mago Merlim. O jovem Artur conseguiu arrancar a espada Excalibur de uma pedra em que ficara presa por artes mágicas. Quem fizesse isso seria o novo rei. Ninguém antes de Artur havia conseguido arrancar Excalibur da pedra. Em outra versão da lenda, foi a Dama do Lago que, tirando apenas o braço para fora da água, entregou a espada a Artur.

O rei Artur se casou com Guinevere e instalou a corte em Camelot. Ele e seus fortes e bravos cavaleiros se sentavam como iguais em torno de uma grande mesa circular. Surgiu assim a Ordem da Távola Redonda. Entre os cavaleiros, Lancelote se destacava pela bravura; Galaad, pela nobreza; e Percival, pela sinceridade.

Os cavaleiros eram soldados que juravam lealdade a um senhor. O rei Artur, se existiu, viveu muito antes da era da cavalaria. Foram os poetas da Idade Média que criaram a imagem de Artur como cavaleiro, pois os cavaleiros eram o modelo idealizado de homem naquela época.

O rei Artur era um poderoso guerreiro. Durante uma rebelião chefiada pelo traiçoeiro Mordred, seu sobrinho (ou filho, segundo algumas versões), foi gravemente ferido em batalha. O corpo de Artur foi levado à ilha de Avalon para ser curado. Segundo a lenda, algum dia ele voltará para reinar novamente.

Em algumas lendas arturianas, a missão do rei e de seus cavaleiros era encontrar o Santo Graal. Na tradição cristã, o Graal foi o cálice usado por Jesus na última ceia. Segundo a lenda, só os puros poderiam ver o Graal.

Livros sobre Artur

Na Idade Média, muitos autores franceses e ingleses usaram as lendas arturianas em seus escritos. O inglês Sir Thomas Malory reuniu muitas dessas histórias no livro Le Morte Darthur (A morte de Artur), no século XV. A maioria das versões modernas sobre o tema se baseia no livro de Malory.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.