Ruth Rocha é uma escritora de livros de histórias para crianças. Com mais de 130 livros publicados, ela faz parte do grupo de escritores que renovaram a literatura infantil e juvenil brasileira na década de 1970, juntamente com outras escritoras, chamadas Lygia Bojunga, Ana Maria Machado e Eva Furnari.

Infância cheia de histórias

Ruth Machado Lousada Rocha nasceu em São Paulo, em 1931, e apaixonou-se pelo universo das histórias já na infância. Morou numa casa cercada de livros, considerados objetos “mágicos”, que ficavam ao alcance de todos. Até as histórias em quadrinhos, proibidas por muitas famílias na primeira metade do século XX, por serem consideradas violentas, eram liberadas pelos pais da autora. Era na casa dela que muitas crianças se reuniam para ler as HQs “proibidas”.

Cresceu ouvindo o avô Ioiô, nordestino, recitando poemas de Castro Alves. Ele também sabia de cor as narrativas dos contos de fadas de Hans Christian Andersen, dos irmãos Grimm e de Charles Perrault. As aventuras das Mil e uma noites também eram contadas nas rodas de histórias familiares. Era um tempo em que não existia televisão nem computador nas casas das pessoas. Assim, sobrava tempo para as conversas e as rodas de histórias.

Obras

Na Universidade de São Paulo (USP), Ruth Rocha formou-se em sociologia e política. Trabalhou muitos anos como orientadora educacional do Colégio Rio Branco, na cidade de São Paulo. No final dos anos 1960, começou a criar passatempos para a revista Recreio, uma publicação voltada às crianças. Depois, os editores pediram que ela escrevesse histórias. Foi lá que ela publicou um de seus maiores sucessos, Marcelo, marmelo, martelo (1976). Outros sucessos foram O reizinho mandão (1978) e Dois idiotas sentados cada qual no seu barril (1983).

Marcelo marmelo, martelo reúne, originalmente, três divertidas histórias. O Marcelo do título é um garoto curioso que quer decifrar a relação entre os nomes das coisas e dos seres e seus significados. Inventivo, ele brinca de mudar o nome de tudo. As duas outras histórias trazem duas meninas bem diferentes, em Teresinha e Gabriela, e um garoto muito egoísta, o Caloca, em O dono da bola.

Com seu jeito de escrever como se estivesse brincando de contar história, Ruth Rocha vai conquistando os leitores porque consegue, de mansinho, chegar até o coração deles. Entre algumas das obras que desvendam essas trilhas escondidas da alma infantil estão O rei que não sabia de nada (1980), Sapo vira rei vira sapo (1982) e Faca sem ponta galinha sem pé (1983).

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.