Sócrates foi um antigo filósofo grego, considerado um brilhante pensador e um mestre ávido pelo conhecimento. Juntamente com outros dois filósofos gregos, Aristóteles e Platão, imortalizou-se por desenvolver as ideias e os pensamentos que foram construindo a cultura e a forma de pensar do mundo ocidental.

Juventude

Sabe-se muito pouco sobre a juventude de Sócrates. Ele nasceu em Atenas, por volta do ano 470 a.C. É provável que, exceto pelo período em que serviu o exército, tenha vivido sempre em Atenas. Casou-se, teve três filhos e talvez tenha tido formação de pedreiro como o pai, mas dedicou-se a buscar o conhecimento. Discutia as ideias com seus amigos, em lugares públicos, onde quem passasse podia participar das reuniões.

O método socrático

Sócrates não deixou por escrito suas ideias nem seus ensinamentos: as pessoas que aprendiam com ele, seus discípulos, é que fizeram anotações. Os escritos de Platão, seu discípulo, sobreviveram, e são o registro das ideias e dos diálogos travados entre eles.

Sócrates acreditava na importância da razão para desenvolver ideias e descobrir a verdade. Ele questionava os discípulos sobre determinado tópico e os ajudava a descobrir onde seu conhecimento ou suas crenças falhavam, usando a técnica hoje chamada método socrático para chegar ao conhecimento. Ele dizia, por exemplo, que não temia a morte. Segundo seu raciocínio, ele não poderia ter medo do que não conhecia, e não conhecia o que ainda estava por vir.

Morte

Sócrates foi um homem de princípios e com frequência rebelou-se contra o sistema político que existia na Grécia. Indispôs-se com muitas pessoas por usar seu método de questionamento, quase sempre provando que as pessoas não eram tão sábias quanto diziam. Levado a julgamento em 399 a.C., acusado de corromper a mente dos jovens e de não respeitar a religião, foi considerado um homem perigoso e condenado à morte por envenenamento. Teve que tomar uma xícara de um veneno mortal chamado cicuta.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.