Saddam Hussein foi um político iraquiano. Foi vice-presidente do Iraque de 1971 a 1979 e depois tornou-se presidente, com poderes ditatoriais, de 1979 a 2003. Foi derrubado de seu posto por tropas dos Estados Unidos, do Reino Unido e de uma coalizão de países, que invadiram o Iraque.

Infância e juventude

Saddam Hussein Al-Tikriti nasceu no dia 28 de abril de 1937, numa aldeia perto de Tikrit, no norte do Iraque. Era de família muito pobre, perdeu o pai cedo e sofreu violências nas mãos do padrasto. Começou a trabalhar aos 6 anos de idade. Com 8 anos, fugiu de casa e acabou sendo recolhido por um tio que morava em Bagdá, capital do país, onde foi viver. Era considerado um menino de rua. Esse tio lhe proporcionou estudo e trabalho. Em 1957, filiou-se ao Partido Baath, um grupo político revolucionário. Dois anos depois, participou de um complô para matar o primeiro-ministro (chefe do governo). Quando o governo descobriu o complô, ele fugiu para o Egito a cavalo, depois de atravessar o rio Eufrates a nado. No Cairo, continuou seus estudos e acabou por se matricular num curso de direito. Não o terminou, porque decidiu voltar ao Iraque em 1963. Em 1964 foi preso, acusado de complô para assassinar o presidente do país. Conseguiu fugir novamente, em 1966.

Presidência

O Partido Baath tomou o poder em 1968, por meio de um golpe de Estado, com a participação de Saddam. Aos poucos, ele foi ganhando poder e eliminando seus rivais. Tornou-se vice-presidente e, em 1979, forçou o presidente do Iraque a renunciar, ocupando então o lugar dele.

Como presidente, Saddam Hussein ficou muito rico e formou um exército poderoso para servi-lo. Quem não concordava com seu governo pagava um preço caro, muitas vezes sendo preso ou assassinado. Era violento, e seus filhos, que ocupavam postos no governo, também.

Muitos árabes do Oriente Médio admiravam Saddam e o tinham como líder, pois gostavam do modo como ele se manifestava contra o poder dos Estados Unidos, principalmente.

Em 1980, Saddam atacou o Irã e isso levou à Guerra Irã-Iraque. A guerra terminou em 1988, mas dois anos depois ele invadiu o Kuwait, o que acabou provocando em 1991 a Guerra do Golfo. Durante essa guerra, os Estados Unidos e seus aliados expulsaram do Kuwait as forças de Saddam Hussein.

Captura e julgamento

Em 2003, os Estados Unidos e outros países temiam que Saddam Hussein estivesse fabricando armas ilegais e apoiando o terrorismo. Forças americanas e inglesas invadiram o Iraque naquele ano, mas Saddam fugiu. Meses depois, soldados americanos o capturaram. Pesavam contra ele diversas acusações, feitas pelos governos de diferentes países e por organizações não governamentais. Saddam era acusado de cometer crimes de guerra, assassinatos, crimes contra a humanidade, além do genocídio dos curdos, um povo que habita o norte do Iraque. Foi julgado em 2005, considerado culpado e condenado à morte — na verdade, pelo massacre de Doujaïl, uma cidade onde em 1982 foram exterminadas 148 pessoas de um ramo da religião muçulmana contrário ao seguido por ele. Saddam Hussein foi executado no dia 30 de dezembro de 2006.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.