Sebastião Salgado é um fotojornalista brasileiro cuja obra expressa poderosamente o sofrimento dos desabrigados e oprimidos. Suas belas e magníficas imagens lhe renderam inúmeros prêmios nacionais e internacionais. Muitas das suas obras são acompanhadas de exposições itinerantes ao redor do mundo.

Sebastião Ribeiro Salgado nasceu em 8 de fevereiro de 1944, em Aimorés, Minas Gerais. Ele estudou economia na Universidade de São Paulo, onde concluiu o mestrado em economia em 1968. Foi economista no Ministério das Finanças de 1968 a 1969. Em 1969, Salgado e sua esposa, Lélia Wanick Salgado, mudaram-se para a França, onde ele continuou seus estudos em Paris e recebeu o doutorado em economia. Em 1971, durante uma missão na Ruanda com a Organização Internacional do Café, ele tomou suas primeiras fotografias e logo decidiu ser autodidata no ofício. Em 1973 tornou-se um fotojornalista freelance — profissão em que uma pessoa trabalha de maneira independente.

Durante a década seguinte, Salgado fotografou uma ampla variedade de assuntos, incluindo a fome no Níger e a guerra civil em Moçambique. Em 1979 ele se juntou a importantes agências de fotojornalismo. Em 1981, ganhou destaque nos Estados Unidos com uma fotografia impressionante que capturou a tentativa de assassinato do presidente norte-americano Ronald Reagan. Em meados da década de 1980 Salgado começou a se dedicar a projetos de longo prazo. Ele usou a sua arte como uma forma de contar histórias através de imagens. Nessa época ele também definiu seu estilo: fotografias de grande expressividade e beleza e composições fortes que atribuem nobreza e dignidade aos seus sujeitos (muitas vezes crianças, homens e mulheres despossuídos).

Salgado venceu o prêmio City of Paris/Kodak Award por seu primeiro livro fotográfico, Outras Américas (1986), que é um registro do cotidiano de camponeses latino-americanos. Essa obra foi seguida por Sahel: O homem em pânico (1986), um livro sobre a seca e a fome na região do Sahel, na África, entre 1984 e 1985. Outra obra comovedora e de natureza documental é Um incerto estado de graça (1990), que inclui um grupo notável de fotografias de trabalhadores cobertos de lama na mina de ouro da Serra Pelada, no estado do Pará.

Confirmada a sua reputação como um dos mais importantes fotógrafos contemporâneos, em 1993 Salgado publicou Trabalhadores, um retrato épico da classe trabalhadora. Quatro anos depois, Terra: luta dos sem-terra recebeu enorme aclamação da crítica. Esta coleção de fotografias em preto e branco, tiradas entre 1980 e 1996, documenta a situação dos trabalhadores pobres no Brasil; a obra inclui um prefácio do escritor português José Saramago e um CD com músicas do cantor e compositor brasileiro Chico Buarque. Na década de 1990 o fotógrafo brasileiro registrou o deslocamento de refugiados, retirantes e emigrantes em mais de 35 países, e suas fotografias a partir desse período foram coletadas em Migrações: Humanidade em transição (2000) e Êxodos e crianças (2000).

Em 2004 lançou o projeto Gênesis, composto de imagens sobre comunidades que ainda preservam suas tradições e culturas ancestrais.

Em 2001, Salgado foi nomeado Embaixador de Boa-Vontade pela UNICEF (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). Através de suas imagens, ele continua participando de iniciativas como a reforestação de áreas de Minas Gerais e a erradicação da pólio no mundo. Ele é membro honorário da Academy of Arts and Sciences dos Estados Unidos.

Salgado mora na França, onde gerencia com a esposa sua agência, Imagens da Amazônia. O casal tem dois filhos.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.