Serra Leoa é um pequeno país na costa oeste da África. Seu nome foi dado pelo navegador português Pedro de Sintra, porque a serra que ele avistou do mar parecia uma leoa e os trovões em época de chuva lembravam o rugido desse animal. A capital do país é Freetown. Serra Leoa tem 6.205.000 habitantes (estimativa de 2014) e ocupa uma área de 71.740 km2.

Geografia

Serra Leoa faz fronteira com a Guiné e a Libéria. O oceano Atlântico fica a oeste. A maior parte da costa é plana e pantanosa. A costa norte tem algumas montanhas. A parte central do país é plana no norte e montanhosa no sul. Há montanhas no leste. O clima é quente e úmido.

Flora e fauna

O norte é coberto por pastagens, e florestas crescem nas colinas e montanhas. As palmeiras são comuns na paisagem. A fauna do país conta com macacos, chimpanzés, leopardos, porcos-espinhos, antílopes e crocodilos.

População

As duas maiorias populacionais são a do povo mende, que segue religiões africanas tradicionais, e a do povo temne, que é muçulmano. Os chamados crioulos formam uma minoria: seus antepassados eram escravos libertos que voltaram para Serra Leoa. A língua predominante é o crioulo, uma mistura de inglês com dialetos africanos. A maioria da população vive no campo.

Economia

Serra Leoa é um país muito pobre, e a maioria de seus habitantes trabalha na agricultura. Os cultivos incluem arroz, mandioca, amendoim e batata-doce. O país possui inúmeras minas de diamantes, que despertaram ganância e provocaram escravidão e muitas mortes.

História

Há milhares de anos o homem já vivia no que é hoje Serra Leoa. Exploradores portugueses chegaram à região no século XV. No final do século XVIII e no início do século XIX, os britânicos ajudaram escravos libertos a se fixar na costa, em um local que passou a ser conhecido como Freetown. Durante o século XIX, os britânicos passaram a dominar a área.

Serra Leoa tornou-se independente da Grã-Bretanha em 1961. De 1991 a 2002, grupos rebeldes entraram em conflito com o governo. A guerra civil levou centenas de milhares de serra-leoneses a fugir para os países vizinhos.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.