A Somália é um país quente e seco do nordeste da África. Grande parte da sua população é formada por pastores nômades de camelos. A capital do país é Mogadíscio. A Somália tem 10.428.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 637.657 km2.

Geografia

A Somália fica na região chamada Chifre da África, o ponto mais a leste do continente. O golfo de Áden está a norte, e o oceano Índico, a leste. O país faz fronteira com o Djibuti, a Etiópia e o Quênia.

Planícies e platôs altos compõem a maior parte do território, o qual tem montanhas no nordeste. Dunas de areia se estendem pela costa leste. Os rios Juba e Chebeli cortam o sul. Entre os dois fica a terra agrícola mais fértil do país.

A Somália é um dos países mais quentes do mundo. O sudoeste e o noroeste têm mais chuva do que o nordeste, que é muito seco.

Flora e fauna

Gramíneas e árvores esparsas pontuam boa parte do território. Poucas plantas sobrevivem no nordeste seco. Cerca de dois terços da terra são usados como pasto para animais.

A fauna somali abrange leões, leopardos, hienas, raposas, javalis-africanos, avestruzes e antílopes. A caça reduziu muito a quantidade de girafas, zebras, antílopes, hipopótamos, rinocerontes e elefantes.

População

Mais da metade da população da Somália é nômade, ou seja, muda de um lugar a outro, acompanhada de seus rebanhos. Agricultores sedentários vivem principalmente no sul. Quase todos os habitantes são somalis, que se dividem em muitos clãs familiares. O país também tem minorias de bantos e árabes. A religião muçulmana é adotada por quase 100 por cento da população.

Somali e árabe são as línguas oficiais, mas algumas pessoas também falam inglês ou italiano. O idioma somali só ganhou uma forma escrita em 1973.

Economia

A Somália é um dos países mais pobres da Terra. Sua economia é baseada na agropecuária. O país tem o maior rebanho de camelos do mundo, além da criação de ovelhas, cabras e gado. Só é possível plantar em uma porcentagem ínfima do solo, e os cultivos principais são de banana, cana-de-açúcar, sorgo, milho, mandioca, algodão e sementes de gergelim. A Somália exporta animais vivos, bananas, peixes, couro e peles, carvão e sucata de metal para outros países.

História

É provável que, na Antiguidade, as regiões costeiras da Somália fizessem parte do chamado país de Punt. Entre os séculos VII e X, árabes e persas instalaram entrepostos comerciais ao longo do litoral. No século X, nômades somalis chegaram à região.

Domínio europeu

Alguns europeus exploraram a região no século XIX. Em 1884, os britânicos conquistaram o norte do país, fazendo dele o protetorado da Somália Britânica. A Itália logo conquistou várias regiões no nordeste e ao longo da costa sul, que assim viraram a colônia denominada Somália Italiana. Em 1960, essas duas partes ganharam a independência e, juntas, formaram um novo país: a Somália.

Guerra civil

Em 1969, um golpe militar levou um general ao poder na Somália. Em janeiro de 1991, rebeldes derrubaram a ditadura militar e o país se dividiu em várias regiões, cada qual controlada por um clã ou um grupo de clãs. Em maio de 1991, a região que anteriormente correspondia à Somália Britânica declarou sua independência com o nome de República da Somalilândia. Mais de vinte clãs armados, em disputa territorial, deflagraram uma guerra civil. Em 1998, o nordeste da Somália, conhecido como Puntland, também estabeleceu seu próprio governo.

Um novo governo somali foi formado fora do país em 2004, mas os conflitos continuam.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.