Robert Louis Stevenson foi um romancista, contista e poeta que deixou obras importantes para a literatura. Dentre elas estão A ilha do tesouro (1883) e O médico e o monstro (1886).

A vida e as histórias

Robert Louis Balfour Stevenson nasceu em Edimburgo, capital da Escócia, no dia 13 de novembro de 1850. Desde criança, demonstrava levar jeito para a literatura. Ele tinha a saúde frágil e passava muito tempo doente, na cama. Nesses períodos, inventava histórias e as contava para a mãe, que as registrava no papel.

O pai de Stevenson era engenheiro e queria que o filho seguisse a mesma carreira, mas ele não se interessava por essa área. Acabou estudando direito na Universidade de Edimburgo, porém nunca exerceu a profissão de advogado. Por volta dos 23 anos, fez amizade com alguns escritores e começou a escrever para revistas.

Stevenson sofria de tuberculose e viajava muito, buscando o melhor lugar para seu bem-estar. Ele viveu em diversos países, dentre eles a França. Lá, conheceu a americana Fanny Vandergrift Osbourne e se apaixonou por ela. Fanny era dez anos mais velha e já tinha um filho, Lloyd Osbourne. Quando Fanny retornou a San Francisco, nos Estados Unidos, Stevenson foi atrás dela. Os dois se casaram em 1880.

Foi para o enteado Lloyd que Stevenson escreveu A ilha do tesouro, uma de suas obras mais populares. De volta à Escócia, em 1881, Lloyd estava fazendo desenhos para se distrair durante uma tarde chuvosa de verão. Stevenson juntou-se a ele e desenhou um mapa que escondia um tesouro de piratas. A partir daí, foram surgindo os personagens e o enredo da história. Enquanto escrevia, o autor lia os capítulos para a família, que dava sugestões para a aventura protagonizada pelo garoto Jim Hawkins, também narrador da obra.

As peripécias de Jim, ao lado de piratas de perna de pau, tapa-olho e papagaio no ombro, em busca de um tesouro escondido, trouxeram sucesso ao escritor. A ilha do tesouro marcou o imaginário da pirataria em muitas gerações de leitores, fascinados pelo inesquecível Long John Silver.

O bem e o mal

Escrito alguns anos depois, O médico e o monstro (1886) foi outro grande sucesso de Stevenson. Nessa obra de ficção científica, um médico, o sensato Dr. Jekyll, esconde um segredo: o de se transformar no assustador e desequilibrado Sr. Hyde. As transformações começam a acontecer depois que o médico realiza algumas experiências em seu laboratório.

A história trata da luta entre o bem e o mal e discute diversas questões referentes à moral da época.

Aventuras no Pacífico

Apesar de sofrer de tuberculose, a doença não limitou o escritor. Ele viajava bastante e escrevia sobre essas incursões em livros como Uma viagem ao continente.

Com a família, ele visitou o Havaí, o Taiti, a Nova Zelândia e as ilhas de Samoa, onde acabou comprando um terreno, na localidade de Vailima, em 1890.

Stevenson mudou-se com a família para Vailima em setembro de 1890. Poucos anos depois, no dia 3 de dezembro de 1894, morreu precocemente. Foi enterrado no lugar, onde tinha o apelido de Tusitala, que quer dizer “contador de histórias”.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.