O pequeno reino da Suazilândia, uma das poucas monarquias da África, tem duas capitais, Mbabane e Lobamba, sendo a primeira a capital administrativa, e a segunda, a legislativa e judiciária. O país tem 1.268.000 habitantes (estimativa de 2014) e sua área é de 17.364 km2.

Geografia

A Suazilândia é quase toda rodeada pela África do Sul e, a leste, tem uma pequena faixa de fronteira com Moçambique. A terra desce dos planaltos do oeste para as baixadas do leste. Há montanhas altas no extremo leste. Em geral, o clima é quente e chove mais na região oeste.

Flora e fauna

Gramíneas e arbustos esparsos cobrem a maior parte da Suazilândia. Há plantações de pinheiros e eucaliptos para exportação de madeira.

Antílopes, hipopótamos, rinocerontes, elefantes, girafas e zebras vivem, principalmente, em reservas ecológicas. Há também macacos, chacais, mangustos, crocodilos e cobras.

População

A maioria da população da Suazilândia é formada pelos suázis e vive na área rural. Há também minorias zulus e tsongas. O inglês e o suázi são as línguas principais. A fé cristã predomina.

Economia

A Suazilândia tem mais indústrias do que a maioria dos países africanos. Entre os produtos principais estão refrigerantes, vestuário, polpa de madeira e produtos de metal. A mineração produz carvão, amianto, ouro, diamante e minério de ferro. Turismo e outros serviços também são importantes para a economia.

Boa parte da população trabalha na agricultura, cultivando cana-de-açúcar, milho e algodão. Há criação de gado bovino e de cabras.

História

O povo suázi estabeleceu seu reino somente no século XIX. O rei suázi logo pediu ajuda aos britânicos da África do Sul para defendê-lo do povo zulu e fez muitas concessões aos brancos. A Grã-Bretanha acabou assumindo o domínio da Suazilândia no início do século XX.

Só em 1968 é que a Suazilândia tornou-se independente, como monarquia constitucional. Apesar de movimentos em prol da democracia, o país continua sendo governado diretamente por um rei.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.