O escritor e acadêmico J. R. R. Tolkien foi autor de livros de fantasia populares, como a aventura O hobbit e a saga O Senhor dos Anéis.

Interesse pelos mitos

John Ronald Reuel Tolkien nasceu em 3 de janeiro de 1892, na África do Sul. Aos quatro anos de idade, ele se mudou com a família para a Grã-Bretanha. Tolkien formou-se na Universidade de Oxford em 1915. Meses depois ele lutou pelo exército britânico na Primeira Guerra Mundial.

Em 1925, Tolkien começou a lecionar em Oxford, na Inglaterra. As aulas do escritor tratavam das raízes da língua inglesa. Ele era um estudioso de antigas fábulas, mitos e lendas. Foi nessa época que começou a escrever suas histórias de ficção.

Invenção do idioma élfico

Em sua obra cheia de magos, fadas, trolls (tipo de monstro) e outras criaturas fantásticas, Tolkien também inventou o idioma élfico. Essa língua imaginária é falada pelo povo dos elfos, que são uma espécie de duendes.

Tolkien publicou o livro O hobbit em 1937, inicialmente escrito para entreter seus quatro filhos. O personagem principal da história é um ser baixinho, pacato e de grandes pés peludos chamado hobbit. Ao lado do mago Gandalf, as aventuras do hobbit Bilbo Bolseiro acontecem num mundo mitológico batizado de Terra Média.

A saga de O Senhor dos Anéis, publicada entre 1954 e 1955, também se desenrola na Terra Média. O romance é dividido em três partes: A sociedade do anel, As duas torres e O retorno do rei.

Na aventura, o hobbit Frodo e outros heróis têm que enfrentar o terrível e poderoso senhor do escuro Sauron, governante do reino de Mordor, na disputa por um poderoso anel.

Tolkien morreu em 2 de setembro de 1973. Ele tinha começado outro livro sobre a Terra Média, O Silmarillion, mas morreu antes de terminá-lo. Seu filho mais jovem publicou essa obra em 1977.

Fã de Tolkien, o cineasta Peter Jackson dirigiu no início da primeira década do século XXI a trilogia O Senhor dos Anéis. A saga do hobbit Frodo Bolseiro, sobrinho de Bilbo, foi um sucesso de bilheteria nos cinemas.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.