A União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), ou União Soviética, foi o primeiro país a formar um governo baseado no sistema conhecido como comunismo. O país existiu apenas entre 1922 e 1991. Durante grande parte desse tempo, no entanto, foi uma das maiores potências do mundo.

Território

Em território, a União Soviética foi o maior país que já existiu. Cobria mais de 22.300.000 km2 na Europa e na Ásia — cerca de duas vezes e meia a área dos Estados Unidos.

O país era formado por quinze repúblicas, chamadas repúblicas socialistas soviéticas. A maior e mais poderosa era a República da Rússia, que hoje se chama Rússia, ou Federação Russa. As outras têm hoje os nomes de Estônia, Letônia, Lituânia, Bielo-Rússia, Ucrânia, Moldávia, Geórgia, Armênia, Azerbaijão, Cazaquistão, Turcomenistão, Uzbequistão, Tadjiquistão e Quirquistão. A capital da União Soviética era Moscou.

População

Nos seus últimos anos, o país teve a terceira maior população do mundo: mais de 290 milhões de pessoas, de mais de cem povos diferentes. O grupo étnico russo era de longe o maior deles, vindo em seguida os ucranianos, os uzbeques, os bielo-russos e os cazaques. O russo era o idioma oficial da União Soviética, mas falavam-se no país mais de duzentas línguas.

O governo soviético não era a favor da prática religiosa. Mesmo assim a Igreja Ortodoxa Russa sobreviveu. Em algumas repúblicas havia também muçulmanos.

Durante a existência da União Soviética, milhões de pessoas deixaram o campo e migraram para as cidades. Em 1991, dois de cada três cidadãos soviéticos moravam em áreas urbanas. Moscou, Leningrado (hoje São Petersburgo) e Kiev (na Ucrânia) eram as maiores cidades.

Cultura

O governo da União Soviética controlava todos os setores da vida do país e não dava às pessoas permissão de criticá-lo abertamente. Chegou mesmo, no final da década de 1920 e durante os anos 1930, a acabar com a livre expressão artística. Aos artistas e aos escritores só era permitido dizer coisas boas sobre o sistema soviético. O governo pôs na prisão muitos artistas e escritores. Outros deixaram o país.

Ainda assim, alguns escritores soviéticos produziram uma obra de qualidade. Em 1958 Boris Pasternak ganhou o Prêmio Nobel de Literatura, que também foi dado a Aleksandr Soljenitsin em 1970. Pasternak teve de recusar o prêmio e Soljenitsin foi forçado a deixar o país.

Economia

Durante seu período mais vigoroso, a União Soviética teve uma das economias mais fortes do mundo. A agricultura, a mineração e a indústria pesada contribuíram muito para a riqueza nacional. O governo completou diversos projetos grandiosos, como represas e canais.

Seguindo os preceitos comunistas, os indivíduos eram proibidos de ter negócio próprio. O governo era o proprietário de quase todas as empresas e fábricas da União Soviética. Os dirigentes do Partido Comunista decidiam que tipo de produto seria fabricado e quanto as pessoas pagariam por ele. Esse sistema levou à escassez de muitos artigos de que as pessoas necessitavam.

Esperava-se também que o sistema comunista compartilhasse com os agricultores e os operários uma porção da riqueza do país. Contudo, os agricultores sofreram muito quando o governo tomou suas terras e criou grandes fazendas coletivas. Na década de 1970, a União Soviética precisou importar alimentos para seu povo.

História

A União Soviética surgiu a partir do Império Russo. O czar, ou imperador, foi deposto após uma revolução ocorrida em 1917. No mesmo ano subiu ao poder um grupo político chamado bolchevique. Os bolcheviques, que constituíram o Partido Comunista, lutaram contra outros russos em uma guerra civil que começou em 1918 e se estendeu até 1920. Vladimir Lênin liderou os comunistas, que saíram vitoriosos.

Primeiros anos

No dia 20 de dezembro de 1922, os comunistas criaram a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. A Rússia era uma dessas repúblicas. As outras unidades eram principalmente regiões do extinto Império Russo. Nelas viviam diversos grupos não russos.

Lênin morreu em 1924. Poucos anos depois subiu ao poder um dirigente do Partido Comunista chamado Joseph Stálin, que se tornou um dos governantes mais cruéis de todos os tempos. Muitos agricultores contrários às fazendas coletivas foram mortos. Boa parte da produção local de alimentos foi exportada, e faltou comida para a população. Durante a década de 1930, Stálin levou à morte 10 milhões de pessoas na União Soviética.

Segunda Guerra Mundial

Em 1939, logo antes do início da Segunda Guerra Mundial, a Alemanha e a União Soviética fizeram um pacto secreto de não agressão. Logo depois a Alemanha invadiu a Polônia, o que motivou o início da guerra. A Alemanha e a União Soviética dividiram entre si a Polônia. Nessa época a União Soviética também ocupou a Letônia, a Lituânia e a Estônia, transformando-as em repúblicas soviéticas.

Em junho de 1941, contudo, a Alemanha rompeu o acordo e invadiu a União Soviética. Os soviéticos então se aliaram aos Estados Unidos e à Grã-Bretanha para lutar contra os alemães.

A União Soviética sofreu terrivelmente durante a guerra. Na época em que a Alemanha se rendeu, em 1945, mais de 20 milhões de soviéticos tinham morrido.

A Guerra Fria

Apesar de todos os prejuízos sofridos, depois da Segunda Guerra Mundial a União Soviética ainda era a maior potência europeia. Enquanto lutavam contra os alemães, as tropas soviéticas entraram em muitos países do leste europeu. Entre 1945 e 1948, os soviéticos estabeleceram, nesses países, governos comunistas controlados por eles. Esse processo gerou muita preocupação em outros países, sobretudo nos Estados Unidos. As duas grandes potências aumentaram seu poderio militar. A rivalidade entre elas ficou conhecida como Guerra Fria. Além de aumentar seus exércitos, os dois países desenvolveram armas atômicas. Muita gente temia que isso levasse à guerra nuclear.

As condições do povo soviético melhoraram depois da morte de Stálin, em 1953. Poucos anos depois, Nikita Sergueievitch Khrutchev subiu ao poder. Ele introduziu algumas reformas que enfureceram os dirigentes do Partido Comunista, o que levou à sua destituição em 1964.

Alguns países do leste europeu tentaram aproveitar a oportunidade oferecida pelas reformas e se insurgiram contra o domínio soviético. Para frear essa tendência, a União Soviética invadiu a Hungria em 1956 e a Tchecoslováquia em 1968.

Em 1979, os soviéticos invadiram o Afeganistão, um país asiático que tem fronteira com a União Soviética. Os Estados Unidos apoiaram a resistência afegã. Em 1989, a União Soviética, derrotada, abandonou o país.

A corrida espacial

De 1957 a 1975, a União Soviética e os Estados Unidos disputaram o que ficou conhecido como corrida espacial. Em jogo estava a exploração do espaço interplanetário.

A corrida começou com o lançamento do satélite artificial Sputnik pela URSS, no dia 4 de outubro de 1957. No dia 3 de novembro, o primeiro ser vivo a ser enviado ao espaço foi a cadelinha Laika, que voou no Sputnik II.

No dia 12 de abril de 1967, foi a vez do primeiro homem ir ao espaço: Iuri Gagarin. Ele deu a volta na Terra em 48 minutos, na nave Vostok.

Depois de diferentes lançamentos dos dois países, coube aos Estados Unidos o grande feito: a chegada do homem à Lua. No dia 20 de julho de 1969, a bordo da nave Apollo 11, os astronautas americanos Neil Armstrong e Edwin Aldrin pousaram no solo lunar.

Em 1975, uma missão conjunta simbolizou o fim da corrida espacial entre as duas potências. Após serem lançadas no mesmo dia, as espaçonaves Soiuz 19 (soviética) e Apollo 18 (norte-americana) conectaram-se uma à outra em pleno espaço, enquanto orbitavam a Terra.

Fim da URSS

Em 1985, subiu ao poder Mikhail Gorbatchev, que queria construir uma economia mais forte e uma sociedade mais livre. Ele promoveu mudanças que foram apoiadas por muitos soviéticos. A partir de 1987, os cidadãos de algumas repúblicas soviéticas começaram a exigir mais independência.

Em 1989 começou uma série de revoluções, que ocorreram em um clima quase totalmente pacífico. Os países do leste europeu tornaram-se independentes do controle da União Soviética. Durante 1991, as repúblicas soviéticas ganharam sua independência. No último dia do ano, a União Soviética chegou ao fim, desmembrando-se em quinze países independentes.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.