O Uruguai é um pequeno país situado na América do Sul, às margens do oceano Atlântico e do rio da Prata. Sua capital é Montevidéu. O Uruguai tem 3.304.000 habitantes (estimativa de 2014) e ocupa uma área de 177.879 km2.

Geografia

O Uruguai é o segundo menor país da América do Sul (apenas o Suriname tem menor extensão). O país faz fronteira com o Brasil ao norte, com a Argentina a oeste, com o oceano Atlântico a sudeste e com o rio da Prata ao sul.

O território uruguaio é quase todo formado por colinas e planícies (os Pampas). Os rios mais importantes são o Uruguai, que demarca a fronteira com a Argentina, e o Negro, que é o mais caudaloso do país. Nele está a represa chamada Embalse del Río Negro, que forma o maior lago do Uruguai.

Os invernos uruguaios são moderados, e os verões são quentes. O outono é a estação mais chuvosa.

Flora e fauna

Os Pampas são cobertos de pastagens e ocupam a maior parte do país. As florestas são raras, mas nas margens dos rios se encontram matas de salgueiros, amieiros, eucaliptos e choupos, além de arbustos diversos, como a babosa.

Entre os felinos uruguaios, destacam-se as onças-pardas e as onças-pintadas. Raposas, veados, gatos-do-mato e capivaras também fazem parte da fauna, bem como jacarés, no rio Uruguai. Várias espécies de aves habitam o país, entre elas abutres, periquitos e flamingos.

População

A maior parte dos uruguaios descende de espanhóis ou italianos. Entre as minorias, há mestiços de indígenas com europeus e uruguaios de origem africana. Praticamente todos os habitantes falam espanhol e vivem nas cidades. O catolicismo é a religião predominante.

Os moradores dos Pampas, tanto no Uruguai quanto na Argentina e no Brasil, são conhecidos como gaúchos (por extensão de sentido, no Brasil passaram a ser chamados assim todos os habitantes do estado do Rio Grande do Sul).

Economia

A maioria dos uruguaios trabalha no setor de serviços (bancos, comunicações, turismo), mas a economia rural também é expressiva. Grandes rebanhos de vacas e ovelhas criados nos campos produzem carne, , couros e laticínios, que são exportados para diversos países. Na agricultura, os principais cultivos são os de arroz, trigo, milho, laranja e cana-de-açúcar. A pesca é outra importante fonte de alimentos. No setor industrial, destacam-se, entre outras, as fábricas de produtos químicos, combustíveis, bebidas e máquinas.

História

Antes da chegada dos europeus, a região era habitada por grupos indígenas, entre os quais se destacavam os charruas. Os espanhóis estiveram na margem norte do rio da Prata pela primeira vez em 1516, mas não a povoaram.

Banda Oriental

Os espanhóis deram ao território o nome de Banda Oriental do Uruguai. Moradores de Buenos Aires caçavam o gado selvagem que ali se multiplicava, aproveitando apenas o couro dos animais.

Em 1680, os portugueses fundaram na Banda Oriental a Colônia do Sacramento, iniciando o povoamento do Uruguai. No ano de 1726, os espanhóis fundaram Montevidéu. Após inúmeras guerras, Portugal e Espanha assinaram, em 1777, o Tratado de Santo Ildefonso, pelo qual os portugueses deixaram a Banda Oriental em troca de parte da antiga região dos Sete Povos das Missões, que passou a fazer parte do Brasil, então colônia portuguesa.

Em 1810, as colônias espanholas na América começaram a lutar pela independência. Os habitantes da Banda Oriental derrotaram os espanhóis, mas o Brasil ocupou a região em 1821, anexando-a com o nome de Província Cisplatina. As Províncias Unidas (atual Argentina) não concordaram com isso, e seguiu-se um conflito que durou até 1828. A paz, estabelecida naquele ano com a mediação da Inglaterra, deu origem a uma nova nação: a República Oriental do Uruguai.

Uruguai independente

Uma guerra civil abalou o país logo após a independência e se estendeu por cerca de setenta anos. No início do século XX, o Uruguai se tornou uma democracia estável. Nos anos 1960, os Tupamaros (organização radical de esquerda) tentaram derrubar o governo.

Em 1973, os militares tomaram o poder com um golpe de estado. Os Tupamaros foram derrotados, mas o país passou a sofrer com a ditadura. O governo militar prendeu, torturou e eliminou muitos representantes da oposição. Em 1985, terminou a ditadura, com o restabelecimento da ordem democrática.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.