O Uzbequistão é um país localizado na Ásia central. Sua capital é Tashkent. O país tem 30.493.000 habitantes (estimativa de 2014) e área de 447.400 km2.

Geografia

O Uzbequistão faz fronteira com vários países: Cazaquistão, Quirguistão, Tadjiquistão, Afeganistão e Turcomenistão. A maior parte de seu território é plana e ocupada por desertos e estepes secas. As únicas montanhas ficam no extremo leste do país. Há três rios principais: o Amu Daria, o Sir Daria e o Zeravchan. O mar de Aral fica no noroeste. O clima é seco tanto no verão quanto no inverno.

Flora e fauna

O Uzbequistão tem poucas florestas e é recoberto em boa parte por gramíneas. Roedores, raposas, lobos e gazelas vivem no oeste. Há javalis, cervos, ursos, lobos, cabras e linces nas montanhas.

População

A maioria da população é de uzbeques, como são chamados os que nasceram no país. Há minorias de russos, tadjiques e cazaques. O idioma oficial é o uzbeque, e a religião muçulmana predomina. A maioria da população vive em áreas rurais no leste.

Economia

O Uzbequistão é um dos maiores produtores de algodão do mundo. Produz também trigo, legumes e uvas. Na pecuária, há criação de gado bovino, cabras e ovelhas. Tecidos, máquinas e equipamentos, bem como produtos químicos e metalúrgicos formam o parque industrial do país. A mineração também é uma atividade forte, com a exploração de gás natural, petróleo, ouro, cobre e outros minerais.

História

Na Antiguidade, a Rota da Seda, um caminho de comércio entre a Europa e a Ásia, atravessava a região. No século VIII, os árabes introduziram o islamismo na área. No século XIII houve uma invasão de mongóis. No século XIV, um líder mongol chamado Timur, ou Tamerlão, conquistou a região.

Os uzbeques vieram do norte no início do século XVI e mantiveram seu domínio até o século XIX, quando a Rússia assumiu o controle do país. Em 1924, a União Soviética fez do Uzbequistão uma de suas repúblicas. Somente em 1991 os uzbeques conquistaram a independência. O país tem enfrentado vários problemas econômicos e sociais.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.