A Zâmbia é um país situado no meio de outros oito países do sul da África. Sua capital é Lusaca. A Zâmbia tem 14.532.000 habitantes (estimativa de 2014) e área de 752.612 km2.

Geografia

A Zâmbia faz fronteira com República Democrática do Congo, Tanzânia, Maláui, Moçambique, Zimbábue, Botsuana, Namíbia e Angola. A maior parte do país é um platô, isto é, uma área elevada de terra. Vários rios cruzam o planalto. No sul ficam as cataratas de Vitória, uma imensa queda-d’água no rio Zambeze. A Zâmbia tem clima moderado, com estações secas e chuvosas.

Flora e fauna

Áreas de florestas e de campos cobrem grande parte do platô. Gramíneas crescem em torno dos pântanos e dos lagos da Zâmbia. O país protege sua fauna em parques nacionais, onde são encontrados elefantes, leões, macacos, zebras, girafas, antílopes, hienas e babuínos. Há também víboras, crocodilos e tartarugas.

População

A Zâmbia abriga diferentes povos, cada um com língua própria. Os povos bemba e tonga formam os grupos maiores. O inglês é o idioma oficial. Cerca de metade da população segue o cristianismo. Muitas pessoas também são adeptas das religiões africanas. Menos da metade da população vive nas cidades.

Economia

A mineração de cobre e de outros metais é muito importante na economia da Zâmbia. O país também produz alimentos, bebidas, produtos químicos e roupas. Muitos zambianos trabalham na agricultura. Entre as culturas importantes estão a cana-de-açúcar, a mandioca, o milho e produtos hortigranjeiros. Há ainda criação de gado bovino, cabras, porcos e frangos.

História

Os ancestrais dos modernos zambianos vieram para a região no início do século XV. Colonizadores europeus chegaram em meados do século XIX. Na década de 1890, a Companhia Britânica da África do Sul conquistou grande parte do território. Os britânicos deram à região o nome de Rodésia do Norte e assumiram seu controle em 1924.

Em 1964, a Rodésia do Norte obteve a independência e foi rebatizada como República da Zâmbia. O primeiro presidente do país governou por quase trinta anos.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.