Os animais e as plantas têm características especiais que os ajudam a sobreviver no meio em que habitam. Eles desenvolvem essas características através de um processo chamado adaptação.

Muitos bichos têm características que lhes permitem esconder-se de outros animais que pretendam atacá-los. Alguns insetos se parecem com um galho ou com uma folha. O corpo dos cervos, ou veados, tem tonalidades de marrom, como as árvores das florestas em que vivem. Nos dois casos, esses bichos se tornam quase invisíveis para seus predadores, pois é difícil enxergá-los em meio à natureza circundante.

Outros animais, como a , o jacaré e o hipopótamo, passam boa parte do tempo na água. Eles têm os olhos e as narinas localizados na parte superior da cabeça, para que consigam ficar quase totalmente debaixo da água sem deixar de enxergar e respirar. As aves aquáticas têm patas palmadas, que as ajudam a se locomover na água. O cacto, uma planta que vive em lugares secos, é capaz de armazenar grande volume de água, pois tem uma camada externa espessa e superfície cerosa, o que impede a perda de água por evaporação.

Os organismos adaptados tendem a sobreviver em maior número, reproduzir-se e transmitir suas características à prole. Organismos semelhantes que não possuem tais características não sobrevivem tão bem e têm menos chances de se reproduzir. Assim, as adaptações vão sendo herdadas até que, por fim, se tornam permanentes. Esse processo é chamado de seleção natural e faz parte da evolução.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.