Os médicos às vezes tratam pacientes com um tipo de medicamento chamado antibiótico. Os antibióticos tratam doenças e infecções provocadas por bactérias, que são organismos minúsculos. O primeiro antibiótico amplamente usado foi a penicilina, descoberta em 1928.

Os médicos empregam antibióticos para curar doenças graves como pneumonia, tuberculose e meningite. Os antibióticos também podem combater problemas comuns como acne e faringite estreptocócica, mas não funcionam contra gripes e outras doenças causadas por vírus.

Os antibióticos atuam matando bactérias ou impedindo que elas se multipliquem. Às vezes, porém, nem todas as bactérias morrem. Diz-se que as bactérias que sobrevivem são resistentes ao antibiótico. Quando essas bactérias se multiplicam, elas transmitem a resistência a novas bactérias. Na ocasião seguinte em que forem expostas ao mesmo antibiótico, ainda menos bactérias morrerão. Com o tempo, o antibiótico deixa de matá-las em número suficiente para fazer a doença desaparecer.

Quando um número suficiente de bactérias se torna resistente a um antibiótico, os médicos param de usar esse antibiótico como remédio. O número de bactérias resistentes está aumentando, por isso os cientistas estão procurando novos antibióticos para substituir os antigos.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.