Um aqueduto é um grande sistema que permite levar água de um lugar para outro. Pode abastecer cidades e fornecer água para a irrigação de plantações. A água pode ser levada sob o solo por túneis ou canalizações, na superfície graças a um canal, ou acima do chão sobre uma ponte.

Os primeiros aquedutos foram construídos pelas antigas civilizações da Grécia, da Babilônia, da Pérsia (atual Irã) e da Índia. Muitos deles eram túneis cavados nas encostas. Os primeiros aquedutos dependiam da gravidade para poder criar o fluxo de água. A fonte tinha de estar mais alta do que o ponto a que se destinava para que a água descesse a colina. As variações de altura, devido a montanhas ou vales, causavam problemas.

Para levar a água passando por vales, construíam-se aquedutos em forma de pontes com arcos, em dois ou três níveis superpostos. A água corria por um canal pelo arco mais alto. Os antigos assírios utilizaram 2 milhões de blocos de pedra para construir um aqueduto que levava a água do vale até a cidade de Nínive, capital da Assíria.

A Roma antiga tinha um complexo sistema de onze aquedutos, construídos entre 312 a.C. e 226 d.C. O sistema usava pontes e canalizações subterrâneas. Alguns desses aquedutos ainda são usados hoje em dia. Os romanos ergueram sistemas semelhantes em outras partes do império.

Atualmente, a maioria dos engenheiros usa bombas potentes para fazer a água subir quando necessário. Assim, em vez de erguer pontes sobre os vales, por exemplo, é possível fazer que as canalizações desçam e subam as colinas. As primeiras bombas movidas a vapor foram utilizadas no fim do século XVIII. Depois passaram a funcionar com eletricidade.

O Aqueduto da Carioca, conhecido como Arcos da Lapa, foi construído em 1750 na cidade do Rio de Janeiro, no Brasil, a fim de resolver o problema de falta de água na cidade, estendendo-se entre os morros de Santa Teresa e de Santo Antônio, com 270 metros de extensão e a altura máxima de cerca de 18 metros. Desde 1896, o aqueduto passou a servir como viaduto para os bondes do bairro de Santa Teresa e é hoje um dos pontos turísticos da cidade.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.