As auroras polares são espectros de luzes coloridas fascinantes que às vezes aparecem no céu noturno. Elas ocorrem nas regiões localizadas nos extremos norte e sul do planeta, perto dos polos. No hemisfério Norte, esse fenômeno é chamado de aurora boreal, ou luzes do norte. No hemisfério Sul, recebe o nome de aurora austral, ou luzes do sul. As auroras polares foram batizadas em homenagem a Aurora, deusa romana do nascer do sol.

As auroras polares assumem várias formas, sendo os raios e arcos de luzes coloridas as mais comuns entre elas. A luz também pode se parecer com cortinas bruxuleantes, ondas, faixas ou nuvens. Uma aurora muda constantemente de forma conforme a luz se move pelo céu. O brilho da luz também pode aumentar e diminuir.

As auroras polares são provocadas pelo Sol, quando ele emite uma corrente de partículas carregadas eletricamente chamada vento solar. O vento solar viaja do Sol em direção à Terra a uma grande velocidade.

A Terra é um grande ímã cercado por um campo magnético. O campo magnético da Terra puxa as partículas carregadas presentes no vento solar em direção às regiões dos polos Sul e Norte. As partículas se movem para baixo, atravessando a atmosfera superior da Terra. Conforme fazem esse movimento, elas colidem com átomos e moléculas de gases como oxigênio e nitrogênio. Essas colisões levam os átomos e moléculas a liberar luz. Essa luz é que constitui a aurora polar. As cores de uma aurora polar são determinadas pelos diferentes gases que liberam a luz.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.