Assim como os dirigíveis, os balões são embarcações mais leves que o ar. Eles são cheios de gás ou de ar quente, o que lhes permite flutuar. Os primeiros experimentos com balões voadores resultaram no desenvolvimento de dirigíveis motorizados e, mais tarde, nos aviões.

Tipos de balão

Há balões de diversas dimensões, desde os bem pequenos, como aqueles que são vendidos em parques de diversão, até os grandes, que levam passageiros. Eles podem ser usados para fazer propaganda ou experiências científicas. Balões gigantes, imitando personagens de desenhos animados e outros objetos divertidos, são usados em alguns tipos de desfile. Esses balões ficam presos a cordas, que são controladas por pessoas em terra. Os balões científicos e aqueles usados para recreação são dirigidos por um piloto.

Como voam os balões

O balão flutua porque em seu interior há um gás mais leve que o ar. O gás mais leve que existe é o hidrogênio, mas ele se incendeia e explode com facilidade. O hélio também é mais leve que o ar, com a vantagem de não se incendiar. Esse é o gás usado em balões que ficam ancorados no chão, presos por cordas, como aqueles dos desfiles. Alguns balões de passageiros são inflados com hélio ou com hidrogênio. Outros recebem ar quente, que também é mais leve que o ar ambiente. Para viagens de longa distância, usa-se uma combinação de gás hélio e ar quente.

Os balões de passageiros possuem um grande saco, o envelope. Ali fica armazenado o gás, que é introduzido através de uma abertura na base chamada bocal. Em balões de ar quente, um maçarico com propano, instalado no bocal, mantém quente o ar no interior do envelope, que é envolvido por uma forte rede. Na parte inferior da rede fica pendurado o cesto que leva os passageiros. Na parte superior do envelope há uma válvula de escape de gás. Ela é acionada pelo piloto por meio de um cordão que se estende até o cesto. Sacos de areia são pendurados em volta do cesto como lastro, para que o balão não suba com muita velocidade.

O balão levanta voo suavemente depois que os cabos de ancoragem são soltos. O movimento do balão é quase exclusivamente controlado pelo vento. O piloto, ou balonista, só pode fazer o balão subir ou descer. Conforme o lastro é jogado fora, o balão sobe. Conforme o gás é liberado, o balão desce.

História

Em agosto de 1709, Bartolomeu Lourenço de Gusmão, nascido no Brasil, na cidade de Santos, fez experiências com balões de pequenas dimensões, não tripulados. Esses experimentos aconteceram na cidade de Lisboa, em Portugal. Em 1783, Joseph-Michel e Jacques-Étienne Montgolfier, dois irmãos que moravam na França, realizaram o primeiro transporte de passageiros em balões de ar quente. Os primeiros viajantes foram um carneiro, um galo e um pato, mas logo depois os dois homens voaram cerca de 9 quilômetros sobre Paris.

Muitas outras experiências foram feitas com balões. Algumas pessoas tinham como objetivo simplesmente conseguir fazer voos cada vez mais longos. Outras, porém, perceberam que os balões poderiam ser úteis, especialmente em tempos de guerra. Durante a Guerra de Secessão dos Estados Unidos e a Primeira Guerra Mundial, as forças armadas usaram balões para espionar os inimigos. Hoje em dia os cientistas instalam instrumentos em balões para estudar o clima e as camadas mais altas da atmosfera.

O balonismo também é praticado como esporte de aventura. Em 1999, Bertrand Piccard e Brian Jones foram os primeiros balonistas a dar a volta ao mundo, sem paradas. Três anos depois, o aventureiro americano Steve Fossett tornou-se o primeiro a fazer esse mesmo percurso sozinho. Em Albuquerque, no estado americano do Novo México, e em outras localidades, anualmente há festivais onde se apresentam centenas de balões de ar quente coloridos. No Brasil, passeios de balão se tornaram populares no início do século XXI.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.