Um bioma é uma ampla região da Terra que contém um clima predominante e tipos específicos de plantas e animais. As florestas, as savanas, os desertos, as estepes, as pradarias e as tundras são exemplos de biomas terrestres. Lagos, rios e mares constituem biomas aquáticos.

Em um bioma, a flora e a fauna apresentam características e aspectos físicos determinantes para a sobrevivência naquele local. Por exemplo, nos biomas de clima semiárido, como a Caatinga brasileira, as plantas têm folhas duras, capazes de armazenar água. Dentro de um mesmo bioma, existem comunidades menores de seres vivos, que interagem entre si e com o meio. Essas comunidades são chamadas de ecossistemas.

Florestas

As árvores são a vegetação predominante nesse bioma. Existem vários tipos de floresta, como a tropical, a temperada e a taiga.

As florestas tropicais ficam próximas à linha do equador. O clima é quente e úmido durante todo o ano. A mata é densa, com plantas de todas as alturas, desde árvores altas até pequenos arbustos. A flora é rica, com grande número de espécies de bromélias e orquídeas, que se prendem ao tronco das árvores. Animais de todo tipo habitam esse bioma, desde grandes mamíferos, como a onça-pintada, até aves de rara beleza, como papagaios e tucanos. No Brasil, a floresta Amazônica e a mata Atlântica são exemplos desse tipo de bioma.

As florestas temperadas são encontradas principalmente no hemisfério norte. Nelas, as árvores perdem as folhas no outono. O clima é temperado, com estações bem definidas, ou seja, o inverno é frio, e o verão, quente. Veados, ursos, linces e esquilos são comuns nesse bioma. A mata de Araucária é às vezes citada como exemplo brasileiro de floresta temperada, mas parece haver uma polêmica em sua classificação. Há os que a classificam dentro da mata Atlântica — para estes, portanto, ela seria parte de uma floresta tropical.

A taiga é encontrada no norte do Alasca, no Canadá, no sul da Groelândia, na Sibéria, em parte da Noruega, na Suécia e na Finlândia. A vegetação predominante é a floresta de coníferas, com árvores em formato de agulha, como os abetos e os pinheiros. O inverno é longo e frio, e o verão, curto e ameno. Linces, lobos, alces e esquilos vivem nesse bioma.

Savanas

Nesse tipo de bioma, há poucas árvores e predomina a vegetação rasteira. No entanto, existem vários tipos de savana, espalhadas pelos cincos continentes. Nas savanas temperadas, como as da América do Norte e as do sudeste da Austrália, o verão é relativamente úmido, e o inverno, frio e seco. Nas savanas tropicais, como a africana — uma das mais conhecidas —, o clima é seco, caracterizado pelas altas temperaturas. A vegetação de gramíneas predomina, com poucos e esparsos arbustos. Búfalos, girafas, rinocerontes, elefantes, leões, guepardos e falcões são alguns dos animais que habitam a região.

No Brasil, são encontrados três tipos de savana: o Cerrado, na região central do país; a Caatinga, localizada principalmente no Nordeste; e o Pantanal, no Centro-Oeste brasileiro. No Cerrado, o verão é chuvoso, e o inverno, seco. A anta, o tamanduá-bandeira, a ariranha, o lobo-guará e a capivara são alguns dos animais que vivem nesse bioma. A Caatinga caracteriza-se pelas plantas adaptadas ao clima semiárido e à pouca quantidade de água, como os cactos e os mandacarus. A fauna é rica em lagartos, como o calango-verde, e em aves, como a asa-branca e o carcará. O Pantanal é chamado de savana alagada, por causa das inundações frequentes que ali ocorrem. Durante os meses de seca — maio a outubro —, a água dá lugar aos bancos de areia e às pastagens, que voltam a ficar submersos na época das chuvas. Tuiuiús, lobos-guarás e jacarés estão entre as espécies animais que vivem na região. Na flora, ipês, aroeiras e angicos se destacam, além da vegetação flutuante, típica de áreas alagadas, como os aguapés e as salvínias.

Desertos

Caracterizados pelo clima rigorosamente seco, os desertos recebem menos de 250 mililitros de chuva por ano. O maior deserto do mundo, o Saara, localiza-se no norte da África. A vegetação desértica é adaptada ao clima seco, predominando cactos e alguns arbustos. Dromedários, lagartos, cobras, roedores e escorpiões habitam esse bioma.

Estepes e pradarias

As estepes aparecem em geral na faixa de transição entre um deserto e uma floresta. São encontradas principalmente no hemisfério norte, por exemplo, nos Estados Unidos, na Mongólia, na Sibéria, no Tibete, na China e em regiões da Europa. A vegetação é do tipo rasteira. O clima nas estepes é seco, com verões quentes e invernos muito frios — em grandes altitudes a neve nunca derrete. As pradarias também se caracterizam pela vegetação rasteira, com a ocorrência de gramíneas e pequenos arbustos. Na América do Norte, as pradarias se estendem desde o Canadá até as planícies centrais dos Estados; bisões e coiotes vivem nessa região. Na América do Sul, as pradarias são chamadas de pampas ou campos sulinos e aparecem no sul do Brasil e na Argentina, onde o clima é mais úmido. Cachorros-do-mato, veados, tatus, anus-pretos e pica-paus são animais típicos dos pampas gaúchos. Nas pradarias americanas, destaca-se a criação de búfalos; nos pampas, a pecuária bovina movimenta a economia da região.

Tundras

Encontrada nas regiões do extremo norte da Terra, a tundra caracteriza-se pelo clima seco e pelas baixas temperaturas, assim como pela pequena biodiversidade. Musgos, liquens e gramíneas compõem a vegetação predominante. Entre as espécies animais, destacam-se raposas árticas, renas e pássaros migratórios.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.