Antes da chegada dos europeus à América do Sul, os indígenas já conheciam as propriedades da seringueira. Esse nome designa árvores da família botânica das euforbiáceas (gênero Hevea). Elas são nativas da Amazônia e produzem o látex (ou caucho), substância leitosa que os indígenas usavam para fazer objetos domésticos e que, quando coagula, forma a borracha. No século XVIII, o látex começou a ser empregado na Europa como impermeabilizante de vasilhas, tecidos e sapatos. Mas com o calor amolecia, e com o frio rachava.

A borracha industrial

Em 1839, o americano Charles Goodyear criou a vulcanização, processo de tratamento do caucho, que resolveu esses problemas. A borracha vulcanizada passou a ter muitas aplicações industriais e a procura pelo látex cresceu muito. Iniciou-se a produção de pneus, primeiro para uso em veículos de tração animal, mais tarde para automóveis.

O Ciclo da Borracha

Iniciada em 1853, a navegação a vapor no rio Amazonas facilitou a exportação do látex, dando início ao Ciclo da Borracha. Foi um período de grande prosperidade para a região amazônica, em que a economia se baseou na extração e na exportação do látex. Manaus e Belém se tornaram importantes centros culturais e econômicos. A prosperidade atraiu levas de imigrantes estrangeiros. A capital amazonense, que em 1830 tinha 3 mil habitantes, ultrapassou os 50 mil em 1880. Em 1896 foi inaugurado em Manaus o Teatro Amazonas, que rivalizava com os melhores da Europa.

Mas a riqueza não chegava às camadas mais pobres da população. Os seringueiros que colhiam o látex na selva viviam em condições miseráveis, enquanto os seringalistas (proprietários dos seringais) desfrutavam os luxos da cidade.

Por mais de cinqüenta anos, o Brasil não teve concorrentes na extração do látex. No início do século XX, o cenário se transformou. Sementes da árvore da borracha contrabandeadas por ingleses do vale do Tapajós, no Pará, em 1875, foram depois plantadas nas colônias britânicas da Ásia, sobretudo na Malásia. A partir de 1905, os seringais asiáticos superaram a produção brasileira. A borracha produzida a partir do látex silvestre, obtido por coleta em árvores no meio da floresta, deu lugar à borracha conseguida em plantações organizadas, decretando o fim do Ciclo da Borracha na economia brasileira.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.