Em alguns animais, entre eles os seres humanos, o cérebro é o centro de controle do corpo e faz parte do sistema nervoso. O cérebro recebe e interpreta os sinais transmitidos pelo corpo e também envia sinais para os músculos e órgãos.

O cérebro do homem e de outros animais vertebrados (que têm coluna vertebral) apresenta-se como grandes massas de células nervosas, ou neurônios, protegidas por um crânio. O cérebro dos vertebrados é formado por várias partes, cada uma com uma função própria. Já o cérebro dos animais invertebrados (sem coluna vertebral) é muito mais simples.

O cérebro humano

O cérebro humano é um órgão muito poderoso que controla o funcionamento de todas as partes do corpo. Também controla os pensamentos, sentimentos e sentidos, permitindo a interação da pessoa com o meio. O cérebro ajuda o corpo a se conservar saudável e a reagir ao ambiente de maneira adequada.

O cérebro de um adulto pesa cerca de 1,4 quilograma. Sua aparência lembra um cogumelo — em que o “chapéu” do cogumelo é o telencéfalo, a parte superior e maior do cérebro. Sua superfície tem muitas fendas e dobras. O telencéfalo é a parte “pensante” do cérebro.

A “haste” do cogumelo é o tronco cerebral, que se localiza na porção da nuca e se liga à medula espinhal. O tronco cerebral controla as atividades que acontecem automaticamente no corpo, como por exemplo os batimentos cardíacos, a respiração, o prazer, a dor, a fome, a sede e a temperatura corporal.

Na parte logo atrás das orelhas fica o cerebelo, uma estrutura responsável principalmente pelo equilíbrio.

O cérebro de outros animais

O cérebro de outros animais vertebrados é formado por três partes principais: o cérebro posterior, o mesencéfalo e o cérebro anterior. Nos peixes e anfíbios, o mesencéfalo é o centro principal do cérebro. Já nos mamíferos, aves e répteis o cérebro anterior é maior e o mesencéfalo é menos importante. O telencéfalo abriga a maior parte do cérebro anterior dos mamíferos, répteis e aves e é o centro de aprendizado desses animais.

O cérebro dos insetos, lagostas, lulas e outros invertebrados apresenta-se como um grupo de células nervosas, que se dispõem nas extremidades de cordões nervosos que percorrem o corpo do animal. Esse tipo de cérebro permite ao animal controlar seu corpo e perceber o ambiente que o cerca. Animais muito simples, como águas-vivas e corais, têm redes de nervos, mas não possuem cérebro.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.