O capitalismo é um sistema econômico, isto é, ele lida com dinheiro e bens. Em um país capitalista, os cidadãos, e não os governos, são donos de empresas e responsáveis por sua administração. As empresas competem entre si para fazer negócios. Os proprietários decidem que produtos e que serviços vão oferecer e também quanto vão cobrar e onde vão vendê-los. As empresas fazem tudo isso para que seus proprietários ganhem dinheiro. As pessoas que usam seu dinheiro para começar um negócio ou administrar uma empresa com o objetivo de obter lucro financeiro são chamadas de capitalistas.

Muitos países — como o Brasil, os Estados Unidos, o Reino Unido, o Japão e a Alemanha — são capitalistas. Outros nomes para o capitalismo são economia de livre mercado e livre iniciativa.

A ascensão do capitalismo

O capitalismo existe há muitos anos, desde que as pessoas passaram a vender e comprar produtos. No entanto, esse sistema ganhou importância no século XVI, com o crescimento do comércio, da indústria e dos bancos. Nessa época, os governos tentaram encorajar o comércio. Para isso, os países se comportavam como comerciantes, tentando vender mais para os países estrangeiros do que compravam desses países. Essa ideia de lucro (cobrar mais do que se paga por um produto) ajudou o capitalismo moderno a se desenvolver.

Capitalismo “laissez-faire”

Nos séculos XVIII e XIX, a Revolução Industrial trouxe grandes mudanças para a economia de muitos países. Surgiram as fábricas, e a produção cresceu muito. Os fabricantes passaram a não querer mais que o governo controlasse o que eles faziam nem a maneira como atuavam. Queriam ter liberdade para administrar suas próprias empresas. Essa ideia ficou conhecida como laissez-faire, que significa “deixe fazer” em francês.

Reações ao capitalismo

No século XIX e no início do século XX, as empresas começaram a produzir cada vez mais, e muitos capitalistas ficaram muito ricos. No entanto, os trabalhadores ganhavam salários baixos e trabalhavam muitas horas por dia, geralmente em condições perigosas. Esses problemas levaram ao crescimento dos movimentos trabalhistas. Muitos empregados se juntaram para exigir melhores condições das empresas.

Ideias socialistas também se tornaram populares. No socialismo, o governo controla a economia e é o dono de empresas e propriedades; além disso, tenta-se distribuir a riqueza do país de forma mais justa entre os cidadãos, tendo como objetivo principal o bem-estar social. Muitos países seguiram algumas ideias socialistas no século XX; outros, como a União Soviética, adotaram uma forma radical de socialismo chamada comunismo.

O capitalismo hoje

O capitalismo do “deixe fazer” terminou nos anos 1930, quando muita gente no mundo todo ficou sem trabalho e passou fome devido a uma crise econômica. Esse período ficou conhecido como a Grande Depressão. Muitas pessoas, não só socialistas, chegaram à conclusão de que os governos deveriam ter algum controle sobre a economia. Hoje, muitos governos têm leis que obrigam as empresas a tratar seus clientes e funcionários de forma mais justa e estabelecem padrões a serem cumpridos.

O capitalismo continua sendo um dos sistemas econômicos mais populares. Muitos países hoje misturam o capitalismo com o socialismo. Nesses países, o governo é dono de algumas empresas e oferece muitos serviços, mas os cidadãos também podem ter suas próprias empresas.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.