As cataratas do Iguaçu são um conjunto de cachoeiras imensas que se formam pelo estreitamento do rio Iguaçu, na fronteira do Brasil com a Argentina. O nome “Iguaçu” deriva da língua guarani e quer dizer “água boa, maravilhosa”.

As cataratas se estendem ao longo do rio Iguaçu, descendo a oeste e depois ao norte, até cair na ponta do platô do rio Paraná. Seguem seu curso até um cânion – um vale profundo, cavado pelas próprias águas.

São 275 quedas-d’água, com alturas que variam entre 60 metros e 82 metros, num conjunto que tem a forma de uma imensa ferradura.

A maior atração é a Garganta do Diabo, que, com seus 150 metros de largura, parece um mar despencando de um abismo de 80 metros de altura.

Com 2,7 quilômetros de extensão, as cataratas do Iguaçu são três vezes maiores que as cataratas do Niágara, na América do Norte. O volume de água varia de acordo com a época do ano e com a quantidade de chuvas. Durante a estação chuvosa, por exemplo, que vai de novembro a março, geralmente passam pelas cataratas 12.750 metros cúbicos de água por segundo.

Ao longo das cataratas há pequenas ilhas. A mais notável é a ilha de San Martín, no lado argentino. Dali o visitante tem uma das visões mais bonitas das quedas-d’água.

Flora e fauna

A vegetação da região é rica e diversificada, com plantas das florestas temperada e tropical. Algumas espécies de plantas aquáticas despertam cada vez mais o interesse dos botânicos. Um exemplo são as da família Podostemaceae, que cresce apenas em água corrente e é encontrada nas quedas das cataratas.

Os contrastes são espetaculares, com bromélias e orquídeas que surgem em meio a uma grande variedade de árvores de grande e de pequeno porte, num solo coberto por um manto de gramíneas, com xaxins e begônias coloridas.

O parque em que ficam as cataratas abriga também uma floresta de araucárias, cuja principal espécie é o pinheiro-do-paraná, árvore-símbolo do estado do Paraná.

A vida animal é variada e abundante, incluindo várias espécies de felinos, como onças, além de tucanos, antas, quatis e veados, entre outros animais.

História

O primeiro relato de visita às cataratas foi feito pelo navegador espanhol Álvar Núñez Cabeza de Vaca, em 1541. Na década de 1930, o Brasil e a Argentina criaram parques nacionais, um em cada país. O objetivo é preservar a vida selvagem e a bela paisagem proporcionada pelas quedas-d’água. Em 1984, o parque argentino foi considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco. Dois anos mais tarde, o parque brasileiro, situado no estado do Paraná, também foi incluído na lista de patrimônios naturais.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.