Os celtas foram um grupo de povos que se espalharam pela Europa na Antiguidade, ocupando desde a atual Turquia, no leste, até as ilhas britânicas e o norte da Espanha, no oeste.

Os historiadores aprenderam sobre os celtas estudando os objetos que eles deixaram. As informações mais antigas sobre os celtas vêm dos túmulos de chefes (líderes tribais) encontrados na Áustria, datados de aproximadamente 700 a.C.

Os celtas viviam em tribos, cada uma com um chefe, guerreiros, agricultores livres e escravos. A maioria das tribos vivia em vilarejos protegidos, normalmente erguidos no alto de colinas. Perto dos vilarejos havia campos e pastagens onde eles cultivavam plantações e criavam gado.

Os celtas eram hábeis no trabalho com metais, estando entre os primeiros povos da Europa a trabalhar o ferro. Fabricavam espadas, escudos, elmos e joias de ouro e prata.

A religião dos celtas era o druidismo, e seus sacerdotes eram chamados druidas. Para os druidas, as almas viviam eternamente, passando, no momento da morte, de uma pessoa para outra.

O poder céltico na Europa ocidental durou apenas algumas centenas de anos, até os celtas serem dominados pelos romanos, pelos cartagineses (um povo do norte da África) e por tribos germânicas. Os celtas conservaram sua cultura singular apenas em partes das ilhas britânicas e na região da Bretanha, no noroeste da França. Na Irlanda, na Escócia, na ilha de Man, no País de Gales e na Bretanha ainda há pessoas que falam línguas célticas.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.