Os índios americanos conhecidos como cheienes, ou cheyennes, originalmente eram agricultores. Mais tarde, porém, tornaram-se caçadores nômades de bisões, os búfalos americanos.

Até 1700 os cheienes viviam na parte mais alta do vale do rio Mississípi, no que hoje é o estado de Minnesota, nos Estados Unidos. Eles plantavam, colhiam arroz selvagem e faziam cerâmica. Depois, mudaram-se para o oeste, onde hoje se encontra o estado de Dakota do Norte. Foi provavelmente aí que obtiveram os primeiros cavalos, o que mudou seu modo de vida. Como agora podiam andar montados, os cheienes começaram a caçar bisões. Eles comiam a carne dos animais caçados, usavam os ossos para produzir utensílios e faziam roupas e tendas com as peles. Para seguir os rebanhos de bisões, os cheienes abandonaram gradualmente suas aldeias e pararam de plantar.

Por fim, eles se espalharam por boa parte das Grandes Planícies, no centro-oeste dos Estados Unidos. Na década de 1830, muitos deles se deslocaram para o sul, onde é hoje o estado do Colorado. Os cheienes que permaneceram no norte continuaram a vagar pelas planícies, mas os do sul optaram por um estilo de vida mais estável. Da década de 1850 à de 1870, os cheienes lutaram contra os soldados americanos e os colonizadores que iam para o oeste. No fim do século XX, os cheienes remanescentes eram cerca de 11 mil, sobretudo nos estados americanos de Oklahoma e Montana.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.