Na arquitetura, a coluna é um elemento vertical, em geral um eixo redondo, com um topo e uma base que, muitas vezes, serve como suporte estrutural.

A coluna também pode ser não estrutural, utilizada não para sustentar a construção, mas somente para fins decorativos, ou como um monumento autônomo.

A arquitetura clássica, na Grécia e na Roma antigas, utilizava cinco principais estilos de colunas, esculpidas em um bloco único, ou criadas a partir de blocos de grandes pedras.

No antigo Egito, bem como no Oriente Médio, as colunas, geralmente grandes e circulares, eram usadas, com grande efeito, para decorar e sustentar estruturas maciças, principalmente na ausência de arcos.

Na arquitetura do Oriente, as colunas tendiam a ser simples na forma, mas ricamente decoradas. Artesãos da era gótica, como os da era romântica, utilizavam as bases e os topos das colunas sustentadoras de pedra como espaços para esculpir muitos detalhes.

Os desenhos barrocos muitas vezes apresentavam colunas de mármore esculpidas com muitas curvas. As colunas modernas tendem a ser feitas de aço, ferro ou concreto, e seus desenhos são simples.

As colunas podem ter formas retangulares, circulares ou poligonais; elas podem diminuir à medida que avançam ao topo, ou conservar o mesmo tamanho.

Uma coluna ligada, anexada ou embutida, é aquela construída em um muro, e dele sai apenas parcialmente. Nas pilastras romanas, esse tipo de coluna servia mais para fins decorativos do que para sustentar as construções.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.