Os combustíveis fósseis surgiram a partir de resíduos de organismos que viveram há muitos milhões de anos. Esses organismos eram plantas, animais e outros seres vivos. O petróleo, o carvão e o gás natural são combustíveis fósseis. É da queima deles que vem 90 por cento da energia que movimenta as máquinas da vida moderna.

A formação dos combustíveis fósseis

Os combustíveis fósseis se formaram na Terra centenas de milhões de anos atrás. Organismos mortos afundaram na lama e na rocha e, ao longo do tempo, foram sendo cobertos por novas camadas de rocha. Os restos desses organismos foram lentamente mudando de forma, dando origem a diferentes tipos de combustíveis. O carvão se formou a partir de plantas. O petróleo e o gás natural se formaram principalmente de organismos microscópicos, como as algas.

Usos e países produtores

Os combustíveis fósseis e os produtos feitos a partir deles têm muitas utilizações. As usinas elétricas os usam para gerar eletricidade. As pessoas queimam combustíveis fósseis para aquecer casas e outras construções. A gasolina, que é feita de petróleo, move carros e outros tipos de equipamentos motorizados.

Muitos países exploram suas reservas de combustíveis fósseis. O maior produtor mundial de petróleo é a Arábia Saudita. A Rússia é o país que tem as maiores reservas de gás natural. Entre os grandes países produtores de carvão se encontram os Estados Unidos e a China. Os Estados Unidos consomem mais combustíveis fósseis que qualquer outro país.

O Brasil também produz petróleo. Em 2007, a empresa petrolífera nacional, Petrobras, anunciou a descoberta de grandes reservas de petróleo ao largo da costa brasileira, em uma camada profunda do oceano chamada pré-sal. A exploração da camada teve início oficialmente em 2010. Em meados de 2016, a produção de petróleo do pré-sal atingiu a marca de 1 milhão de barris por dia.

Desvantagens dos combustíveis fósseis

Os combustíveis fósseis são recursos não renováveis — isto é, uma vez esgotados, estarão acabados para sempre. Desde o fim do século XVIII, a população mundial vem consumindo combustíveis fósseis em ritmo mais acelerado que nunca.

O uso de combustíveis fósseis de forma descontrolada é prejudicial ao meio ambiente. Quando petróleo e carvão são queimados, eles liberam gases nocivos que reagem com a umidade do ar, gerando a chuva ácida, uma forma perigosa de poluição. Outra consequência da queima de combustíveis fósseis é o aumento da temperatura da atmosfera da Terra. Esse aquecimento vem desequilibrando o efeito estufa, que é uma forma natural de a atmosfera controlar a temperatura do planeta, mantendo-o aquecido. Sem o efeito estufa não haveria vida na Terra. Porém, quando ele se intensifica, ocorre o aquecimento global.

Cientistas e engenheiros vêm desenvolvendo novas maneiras de gerar energia sem o uso de combustíveis fósseis. Alguns carros, por exemplo, já são acionados por eletricidade em vez de gasolina. O álcool também é uma solução menos prejudicial à natureza. Residências podem ser aquecidas com energia solar. Algumas usinas elétricas funcionam com energia nuclear, energia hídrica (da água) ou energia eólica (do vento).

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.